NOTÍCIAS
NOTÍCIAS

 

 

Ibama prorroga prazo para entrega do RAPP de 2021


A Instruo Normativa (IN) do Ibama 04/2021, publicada dia 29 de maro no Dirio Oficial da Unio, prorrogou at 29 de junho de 2021 o prazo regular para a entrega do RAPP Relatrio Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras de 2021 (ano-base 2020). O texto tem como objetivo atenuar eventuais obstculos impostos pela pandemia de coronavrus para o cumprimento das obrigaes de cidados e empresas junto Administrao Pblica.

A entrega do relatrio at 29 de junho de 2021 no afetar a emisso do Certificado de Regularidade junto ao Cadastro Tcnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadora de Recursos Ambientais (CTF/APP). A prorrogao estabelecida pela IN Ibama 04/2021 se refere exclusivamente ao RAPP de 2021 (ano-base 2020). As datas de pagamento da Taxa de Controle e Fiscalizao Ambiental (TCFA) no foram prorrogadas.

Para ler a Instruo Normativa do Ibama 04/2021, basta acessar o link abaixo:

https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-4-de-26-de-marco-de-2021-310890935

Postado em: 30-03-2021
Fonte: Fonte: Portal Brasil Postos

ANP orienta postos sobre novas regras de exibio de preos


A ANP est divulgando, em seu portal, orientaes para os postos revendedores de combustveis atenderem ao Decreto 10.634/2021, que estabelece a obrigatoriedade da divulgao de informaes detalhadas sobre os preos de combustveis praticados, a fim de garantir o direito ao consumidor de receber informaes corretas, claras, precisas, ostensivas e legveis.

Com o objetivo de orientar os agentes econmicos, reduzir os custos informacionais para obteno dos dados requisitados no artigo 4 do decreto e promover maior aderncia ao cumprimento dessa legislao, a ANP disponibilizou, em seu portal, pgina com a consulta s bases de dados com informaes tributrias e de preos. Tambm disponibilizou em seu site modelo exemplificativo do painel para atendimento com os componentes dos preos dos combustveis automotivos, e que dever ser obrigatoriamente utilizado nos postos revendedores, para fins de cumprimento do referido Decreto.

O Decreto 10.634/2021, publicado em 22/2, estabelece que os postos revendedores que concederem descontos nos preos de forma vinculada ao uso de aplicativos de fidelizao, devero informar aos consumidores: o preo real, de forma destacada; o preo promocional, vinculado ao aplicativo de fidelizao; e o valor do desconto, que poder ser calculado pelo valor nominal ou percentual. Alm disso, quando a utilizao do aplicativo de fidelizao proporcionar a devoluo de dinheiro ao consumidor, o valor e a forma de devoluo devero ser informados de forma correta, clara, precisa, ostensiva e legvel aos consumidores.

O decreto tambm estabelece que os postos revendedores devem informar os valores estimados de tributos das mercadorias e servios em painel afixado em local visvel do estabelecimento, que dever conter o valor mdio regional no produtor ou no importador; o preo de referncia para o ICMS; o valor do ICMS; o valor do PIS/PASEP e da Cofins e o valor da CIDE Combustveis.

O Decreto entra em vigncia contados 30 dias de sua publicao e os postos revendedores que no atenderem a suas disposies ficaro sujeitos s penalidades aplicveis.

Mais informaes podem ser obtidas diretamente no site anp.gov.br.

Postado em: 05-03-2021
Fonte: Site ANP

Festa solidria marca o aniversrio de 25 anos da RDP Petrleo


Em 2020 a RDP Petrleo completou 25 anos, e a celebrao desta data to especial foi inteiramente voltada a quem mais precisa.

Seguindo um dos princpios que norteiam a RDP Petrleo desde a sua fundao, a empresa optou por comemorar a trajetria de 25 anos atravs de uma grande ao solidria, na qual instituies filantrpicas dos cinco estados do pas em que a RDP Petrleo atua iro receber doaes mensais de alimentos, durante um ano inteiro. So entidades que vivem quase integralmente de doaes.

Nesta festa solidria sero destinadas pela RDP Petrleo mais de 1000 cestas bsicas, fracionadas entre as instituies e entregues uma vez ao ms. Para prover o alimento aos assistidos durante todo o ano de 2021, a primeira doao ser feita em dezembro deste ano, e assim continuar ocorrendo por 12 meses.

Para tanto, a RDP Petrleo convidou clientes, colaboradores, fornecedores, autoridades, entre outras pessoas que tambm fazem parte da histria da empresa, para participar desta festa solidria atravs do voto. No convite enviado estavam elencadas as cinco instituies envolvidas, com os respectivos sites para que os mesmos pudessem ser visitados. Com isso, o convidado poderia escolher a entidade que desejasse presentear com a doao da RDP Petrleo, alm da oportunidade de conhecer cada uma delas, bem como o trabalho que desempenham.

Importante destacar que nesta ao todas as instituies sero atendidas. A votao, que ocorreu por SMS e foi encerrada no dia 15 de dezembro, definiu apenas as quantidades a serem doadas a cada uma das entidades.

Em um ano de inmeras adversidades para grande parte da populao devido pandemia, a RDP Petrleo escolheu promover uma ao que unisse muitas pessoas em torno de um mesmo propsito, despertando a compaixo, e a vontade de amparar com bondade e amor aqueles que mais precisam. Uma verdadeira festa da solidariedade, que celebrou os 25 anos de uma histria marcada por desafios, superao e muitas conquistas.

Entidades beneficiadas conforme o resultado da votao:

1 - Socorro aos Necessitados www.socorroaosnecessitados.org.br Curitiba I PR

2 - Lar Abdon Batista larabdonbatista.com Joinville I SC

3 - APROMIV Associao de Proteo Maternidade, Infncia e Velhice apromiv.org.br Betim I MG

4 - AEDHA Casa Abrigo Betel aedha.org Duque de Caxias I RJ

5 - Lar Esperana laresperanca.com Porto Alegre I RS

Postado em: 16-12-2020

Site da ANP muda para www.gov.br/anp


No dia 29 de outubro a ANP Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis lanou seu novo portal: www.gov.br/anp. Com isso, a pgina da Agncia passa a integrar o portal nico gov.br, que rene os canais digitais do governo federal para facilitar o acesso aos diferentes servios oferecidos pelas instituies pblicas. Portanto, quem tentar acessar o endereo antigo ser direcionado para o portal da ANP no gov.br.

Durante a mudana, a ANP reavaliou a estrutura de seu portal, priorizando, com o novo leiaute, o acesso s pginas e servios mais procurados pelos agentes econmicos e consumidores.

A mudana do portal da ANP e seu novo endereo atendem ao Decreto n 9.756/2019, que instituiu o portal nico gov.br e estabeleceu as regras de unificao dos canais digitais do governo federal. De acordo com o decreto, os rgos e entidades da administrao pblica federal tero at 31 de dezembro de 2020 para migrar os contedos de seus sites para o gov.br, alm de desativar ou redirecionar o acesso de suas pginas para o portal nico.

Postado em: 30-10-2020
Fonte: Site ANP

Nova especificao da gasolina automotiva com maior qualidade de rendimento entra em vigor em agosto


As novas especificaes da gasolina automotiva, estabelecidas pela ANP na Resoluo n 807/2020 entram em vigor no prximo dia 3 de agosto. Essas novas especificaes aprimoram a qualidade da gasolina brasileira, proporcionam maior eficincia energtica, melhorando a autonomia dos veculos pela diminuio de consumo, e viabilizam a introduo de tecnologias de motores mais eficientes, com menores nveis de consumo e emisses atmosfricas.

Publicada em janeiro deste ano, a resoluo deu prazo at 3 de agosto para os produtores de combustveis se adequarem s regras, data em que toda a gasolina produzida no pas dever atender s novas especificaes. Ser dado prazo adicional de 60 dias para as distribuidoras e de 90 dias para os revendedores se adequarem, permitindo o escoamento de possveis produtos comercializados at o dia 2 de agosto ainda sem atender integralmente s novas caractersticas.

A reviso da especificao da gasolina automotiva contempla, principalmente, trs pontos. O primeiro o estabelecimento de valor mnimo de massa especfica (ME), de 715,0 kg/m3, o que significa mais energia e menos consumo.

O segundo valor mnimo para a temperatura de destilao em 50% (T50) para a gasolina A, de 77,0 C. Os parmetros de destilao afetam questes como desempenho do motor, dirigibilidade e aquecimento do motor.

O terceiro ponto a fixao de limites para a octanagem RON (Research Octane Number), j presente nas especificaes da gasolina de outros pases. A fixao de tal parmetro mostra-se necessria devido s novas tecnologias de motores e resultar em uma gasolina com maior desempenho para o veculo.

Existem dois parmetros de octanagem MON (Motor Octane Number) e RON. No Brasil, s era especificada a octanagem MON e o ndice antidetonante (IAD), que a mdia entre MON e RON. O valor mnimo de octanagem RON, para a gasolina comum, ser 92, a partir de 3 de agosto de 2020, e 93, a partir de 1 de janeiro de 2022. J para a gasolina premium, ser de 97, j a partir de 3 de agosto prximo.

A iniciativa resultado da realizao, pela ANP, de estudos e pesquisas dos padres de qualidade, considerando o acompanhamento das especificaes e harmonizaes internacionais, bem como de amplos debates com os agentes econmicos do mercado de combustveis. Atende aos atuais requisitos de consumo de combustvel dos veculos e de nveis de emisses progressivamente mais rigorosos, considerando cenrio futuro das fases L-7 e L-8 do Programa de Controle de Emisses Veiculares (Proconve Ibama) e do Programa Rota 2030 Mobilidade e Logstica (Governo Federal).

Alm de estabelecer as novas especificaes da gasolina, a Resoluo ANP n 807/2020 determina as obrigaes quanto ao controle da qualidade a serem atendidas pelos agentes econmicos.

Postado em: 17-07-2020
Fonte: Site ANP

RDP Petrleo conquista 1 Edio do Prmio de Melhor Distribuidora Regional do SindTRR no Sul do Pas


O SindTRR Sindicato Nacional do Comrcio Transportador-Revendedor-Retalhista de Combustveis realiza anualmente uma pesquisa para verificar qual distribuidora de combustveis recebe maior aprovao no atendimento categoria. O Prmio Melhor Distribuidora ano base 2019 qualifica o relacionamento entre empresas TRR e as Distribuidoras, avaliando os seguintes quesitos: atendimento, poltica comercial, comunicao e operacional.

A Premiao referente ao ano de 2019 para as trs principais Distribuidoras (BR, Ipiranga e Razen) ainda no ocorreu, em razo do adiamento da 35 Conveno Nacional TRR, que seria em maro passado. No entanto, a entrega est programada para o ms de julho.

Nos ltimos anos, esse ranking vem sendo dominado pelas trs principais empresas do mercado, porm, em razo do crescimento da participao no mercado TRR das Distribuidoras Regionais, o SindTRR decidiu no ano de 2019 estender a pesquisa e observar o desempenho das demais fornecedoras, criando o Prmio de Melhor Distribuidora Regional.

Durante o Webinar realizado em 18 de maio de 2020, que contou com a participao dos Diretores do SindTRR, das Associadas, da Federao Brasilcom, e representantes de algumas distribuidoras, o Presidente da entidade lvaro Faria, entre outros assuntos, apresentou a Pesquisa de Avaliao do Prmio Melhor Distribuidora Regional.

De acordo com a avaliao das respostas feita pela Qurum Brasil, entre as distribuidoras regionais a RDP Petrleo ficou em primeiro lugar na regio Sul do Pas. Dentro da mesma pesquisa, no cenrio nacional a Rejaile Distribuidora de Petrleo tambm conquistou uma posio de destaque na preferncia dos TRRs, ficando em segundo lugar, com mdia 7,43. A Petronac distribuidora que opera em regies no coincidentes com as reas de atuao da RDP Petrleo ficou em primeiro lugar com mdia 8,19.

Para lvaro Faria, a incluso das Distribuidoras Regionais na pesquisa um caminho natural, a partir do momento em que elas passam a ter maior participao nas vendas para o segmento TRR. muito bom para o TRR ter um leque diversificado de fornecedores. O mais importante que todos trabalhem respeitando as regras de mercado, e de forma harmnica, finalizou.

Postado em: 02-07-2020

Coluna Made in Paran da Gazeta do Povo destaca histria do Grupo Rejaile

O LIDE-PR lanou em junho deste ano a coluna Made In Paran, um espao onde sero publicadas histrias de empresas paranaenses com o objetivo de dar visibilidade ao empreendedorismo do estado, e inspirar os diversos setores atravs do exemplo de trajetrias de sucesso.


Em sua primeira publicao contando a histria de uma empresa paranaense, a coluna apresentou a trajetria do Grupo Rejaile. Confira o texto na ntegra!


Fonte: https://www.gazetadopovo.com.br/gpbc/lide-parana/grupo-rejaile-se-torna-exemplo-de-lideranca-enraizada-nos-valores-do-patriarca/


Grupo Rejaile se torna exemplo de liderana enraizada nos valores do patriarca


O sucesso de uma empresa familiar se mede pelo grau de maturidade dos seus gestores, pelo estilo de governana e, principalmente, pelo respeito entre seus administradores. isso que se v no trabalho do Grupo Rejaile, que emprega diretamente mais de 500 colaboradores, e mesmo com o impacto econmico causado pela pandemia, tem mostrado crescimento nos ltimos meses.


Em fevereiro de 1949, a famlia de origem humilde libanesa chegou ao Brasil. Cristos, saram do Lbano onde sofriam perseguio religiosa. Vieram em busca de melhores condies de vida para seus quatro filhos. Maurcio Chicre Abou-Rejaile, o quinto filho da famlia, nasceu na zona da mata mineira, nove meses depois que seus pais chegaram Amrica.


A relao de Maurcio com o setor de infraestrutura comeou cedo. Trabalhando em uma empresa de engenharia em Minas Gerais, aos 19 anos foi transferido ao Paran para trabalhar em obras de construo de rodovias, estradas de ferro e barragens. Famlias libanesas so tradicionalmente ligadas ao comrcio, e seu irmo mais velho veio para o Paran em 1973, quando comprou um posto de combustveis. Seguindo os passos do irmo, em 1975, Mauricio tambm comea a trabalhar na revenda de combustveis.


Em 1994, passados 19 anos, com os negcios de Maurcio Rejaile em expanso, o registro de distribuidor de combustveis finalmente concedido pelo extinto Departamento Nacional de Combustveis, atual Agncia Nacional de Petrleo. Com isso, em 1995 iniciam-se as atividades na RDP Petrleo. Maurcio Rejaile passava, assim, da revenda para distribuio de combustveis.


"Em 2006 tivemos muitas dificuldades com a economia do pas, ramos uma empresa pequena brigando com gigantes. Vivemos uma grande crise e pensamos inclusive em vender a empresa, achvamos que fosse impossvel continuar. Mas, em famlia, decidimos permanecer no mercado. Felizmente resistimos, respeitando nossos princpios", destaca o patriarca, que conta que foi esta crise que alimentou a vontade de vencer e conquistar novos rumos para o grupo. Foi a partir deste episdio que a RDP Petrleo passou a conquistar uma fatia cada vez maior do mercado.


Nesta poca havia uma srie de denncias de fraudes no mercado de combustveis, o que motivou Maurcio Rejaile a procurar a delegacia do Ministrio de Minas e Energia em SC, para pleitear uma forma de aumentar a fiscalizao para separar o "joio do trigo, pois estavam competindo em um mercado entre sonegadores e fraudadores. Foi neste momento que o presidente do Grupo Rejaile fundou, junto com autoridades do MME em SC, o Comit Sul Brasileiro de Qualidade dos Combustveis, para que ao lado dos rgos pblicos pudesse atuar de forma conjunta com o intuito de auxiliar na fiscalizao e no combate s fraudes fiscais e adulteraes.


Hoje, Maurcio Rejaile presidente da BRASILCOM Federao Nacional das Distribuidoras de Combustveis, Gs Natural e Biocombustveis entidade que congrega vrios sindicatos estaduais e que tem o propsito de lutar pela tica, combate fraude e pela livre concorrncia no mercado de distribuio de combustveis. tambm coordenador da Cmara Brasileira do Comrcio de Combustveis da CNC Confederao Nacional do Comrcio.


"Quando se assume este protagonismo, de forma transparente, voc fica completamente exposto e, muitas vezes, o primeiro a ser fiscalizado. No precisamos mudar nada, apenas seguir trabalhando. Dei meu nome empresa e aqui trabalham meus quatro filhos porque acredito no valor do trabalho e no que estamos construindo, gerando empregos de forma honesta e dentro da legalidade", destaca.


Hoje trabalham no Grupo Rejaile, seus filhos Jefferson, Maurcio Filho, Melina e Rafael, cada um cuidando de reas estratgicas, cultivando valores que vm da famlia e que so vividos no negcio. "Meu pai sempre ouviu os filhos. O tempo todo somos instigados a opinar e participar ativamente de todos os assuntos, destaca Jefferson Rejaile, um dos filhos, e diretor comercial do Grupo.


Atualmente, alm da RDP Petrleo, o Grupo Rejaile composto tambm pela Biopreserve Solues Ambientais, empresa com atividades nas reas de gesto ambiental, engenharia civil e geologia para postos de combustveis e outros segmentos, e a Rede Mediterrneo de Postos de Combustveis, com 26 unidades em diferentes estados.


Dentro da RDP Petrleo, a rea de armazenagem se destaca com duas bases de distribuio de combustveis e biocombustveis. Uma delas em Itaja-SC, com capacidade de movimentao de 600 milhes de litros de combustveis por ano, locando espao para outras empresas de combustveis como a BR Distribuidora. Alm da base de Itaja, destaca-se tambm a base de Araucria-PR, com capacidade de movimentao de at 1 bilho de litros por ano. Hoje o Grupo Rejaile, com matriz em Curitiba, tem negcios nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais.


O patriarca que trabalhou na estrada de ferro Central do Paran, no trecho de Ponta Grossa a Apucarana, na construo da barragem de Salto Osrio em Quedas do Iguau, nos muros de arrimo da BR 277 de Curitiba a Paranagu, hoje de forma diferente continua colaborando com o desenvolvimento da infraestrutura do Paran, com participao importante no desenvolvimento logstico e na pauta de combustveis e biocombustveis do pas.


Sobre o momento que estamos vivendo com a pandemia, o diretor do Grupo Rejaile, Jefferson Rejaile, ressalta que a primeira preocupao logo no incio da pandemia foi a preservao de vidas e empregos, mesmo com a restrio de mobilidade e diminuio dos negcios. As pessoas foram trabalhar em casa, e as que no conseguiam exercer sua atividade em home office, foram afastadas para que no ficassem expostas doena. Toda esta situao nos transmite novos valores, e enxergo que a postura das empresas em relao s pessoas ser cada vez mais importante ".

O Grupo Rejaile filiado ao LIDE Paran. Exemplo de empreendedorismo, de empresa familiar liderada por princpios ticos e onde seus lderes no se preocupam apenas com o lucro, mas em contribuir para uma sociedade mais prspera e humana. Semanalmente nesta coluna o LIDE Paran trar exemplo de empresas e empreendedores paranaenses que venceram momentos de adversidades e so exemplos a se inspirar em um momento como o que estamos vivendo.

Postado em: 23-06-2020
Fonte: Gazeta do Povo

Ateno s medidas de preveno do Coronavrus


Devido pandemia causada pelo novo Coronavrus, de fundamental importncia que todos adotem as orientaes e medidas de preveno indicadas pelo Ministrio da Sade, para conter a evoluo e disseminao da doena. Veja abaixo algumas delas:

  • Manter as janelas abertas para o fluxo de ar;
  • Higienizar as mos frequentemente com lcool em gel, ou lav-las com gua e sabo;
  • No tocar o nariz, olhos ou boca antes de higienizar as mos;
  • Utilizar leno descartvel para a higiene nasal;
  • No compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Desinfetar superfcies e objetos de uso comum (como o telefone celular);
  • Proteger a face junto dobra do cotovelo ao tossir ou espirrar;
  • Evitar locais com muitas pessoas;
  • Se precisar sair de casa, usar a mscara. Seu uso deve ser individual.


Cuidados importantes para Postos de Combustveis e Lojas de Convenincias


Alm das medidas j citadas, vlido ressaltar algumas aes indispensveis para a Revenda:
  • Disponibilizar lcool em gel 70% para colaboradores e clientes;
  • Higienizar frequentemente a mquina para pagamento com carto, maanetas, portas, mesas, cadeiras, balces, torneiras, corrimo e outros objetos de uso coletivo, com gua e sabo, e lcool 70%;
  • No permitir o consumo de produtos e outros objetos de uso coletivo dentro das lojas de convenincias, bem como no ptio do posto, quando caracterizar aglomerao de pessoas;
  • Manter distncia mnima de 2 metros entre cada pessoa na fila de atendimento;
  • Todos os colaboradores devem usar mscaras de tecido durante todo seu turno de servio, independentemente de estarem em contato com o pblico;
  • Informar aos colaboradores sobre os cuidados para preveno do vrus, e a importncia dessas medidas para a sade de todos.


Vale destacar que alm destas medidas de preveno, Municpios e Estados do Pas tm divulgado medidas especficas, orientadoras e obrigatrias, que devem ser observadas e seguidas.


A transmisso do coronavrus ocorre atravs de gotculas de saliva, tosse, espirro, catarro ou no toque direto em indivduos ou objetos contaminados, seguido de contato com mucosas da boca, nariz ou olhos. Diante disso, imprescindvel que todos se conscientizem e fiquem atentos s medidas prticas de preveno.

So aes simples que tornam-se essenciais para prevenir infeces respiratrias e demais doenas.

Medidas adotadas no Grupo Rejaile


Diante deste cenrio, as empresas do Grupo Rejaile adotaram vrias atitudes de preveno, tais como seguir rigorosamente em todas as sedes as regras de higiene recomendadas; participar de eventos e reunies apenas por call ou videoconferncia; suspender todas as viagens e participao em eventos presenciais; e colocar a quase totalidade dos colaboradores da parte administrativa trabalhando em home office, ou revezamento no comparecimento ao escritrio.
O objetivo primordial do Grupo Rejaile constantemente contribuir com o coletivo, ajudando a cuidar da sade de todos, e promovendo o bem!

Postado em: 23-03-2020

Reunio de posse da diretoria da FREPER discute plano de trabalho para 2020

No dia 11 de maro deste ano ocorreu a posse da diretoria da FREPER Frente Parlamentar para o Desenvolvimento Sustentvel do Petrleo e Energias Renovveis, na Cmara dos Deputados, em Braslia-DF.

Presidida pelo deputado federal Christino ureo (PP-RJ), a FREPER um ambiente que reunir o setor produtivo, as autoridades estaduais e os parlamentares para debater polticas pblicas de petrleo, gs e renovveis.

De acordo com Christino ureo, esta primeira reunio do ano teve como objetivo dar posse, efetivamente, ao presidente, aos vice-presidentes e aos diretores de cada rea, e focar em uma agenda de trabalho muito objetiva. Ressaltou tambm que preciso pensar na FREPER como algo que coloque todos do mesmo lado do balco, com interesses mais amplos em comum. Nas divergncias, que ela sirva como um espao positivo de mitigao do risco de rompimento absoluto das posies. Acho que isso o corao daquilo que pretendemos como atividade. Sem falar na pluralidade de posies, que precisa existir, tanto de pensamentos na linha empresarial e na linha dos trabalhadores, que esto dentro dessa cadeia, quanto de posicionamentos polticos e vises de mundo que so divergentes.

Para a secretria de Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis, Renata Isfer, h pautas prioritrias para o Brasil como o combate sonegao, ao no pagamento de impostos, a criminalizao do furto de combustveis e do devedor contumaz.

A Federao BRASILCOM, entidade que representa as distribuidoras regionais, contou na mesa com seu vice-presidente executivo, Abel Leito, que destacou trs pontos principais do setor de downstream para discusso: o combate venda ilegal de combustvel, a privatizao das refinarias privilegiando a competio de mercado com critrios para no concentrar mais a concorrncia, e o acesso infraestrutura (portos, terminais e outros) aberto a todos.

No evento, seis diretores, trs vice-presidentes regionais e trs membros do conselho consultivo foram empossados.
- Christino ureo (PP-RJ) presidente;
- Paulo Ganime (Novo-RJ) Diretor de Explorao e Produo de Petrleo;
- Domingos Svio (PSDB-MG) Diretor de Gs Natural;
- Lucas Redecker (PSDB-RS) Diretor de Refino e Logstica de Combustveis;
- Leur Lomanto (DEM-BA) Diretor de Distribuio de Combustveis;
- Paulo Bengtson (PTB-PA) Diretor de Segurana, Meio Ambiente e Sustentabilidade;
- Marcelo Calero (Cidadania RJ) Diretor de Assuntos Tributrios;
- Vice-presidentes regionais: Larcio Oliveira (PP-SE), Coronel Chrisstomo (PSL-RO) e Lucas Gonzales (Novo-MG).
- Conselho consultivo: Fernando Coelho (DEM-PE), Jean Paul Prates (PT-RN) e Renata Isfer, secretria de Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis do Ministrio de Minas e Energia.

Postado em: 18-03-2020
Fonte: Site da Federao Brasilcom

leo Diesel brasileiro passa a conter mnimo de 12% de biodiesel

Entrou em vigor neste domingo (1 de maro) o percentual mnimo de biodiesel acrescido ao leo diesel que passa de 11% para 12%, conforme estabelecem a Resoluo CNPE n 16, de 29 de outubro de 2018 e o Despacho ANP n 621, de 06 de agosto de 2019. O percentual mximo, institudo por essas normas, permanece sendo 15%.
Segundo o cronograma determinado na resoluo, o teor mnimo de biodiesel no leo diesel ser acrescido de 1% a cada ano, at atingir o limite de 15% em 1 de maro de 2023. O primeiro aumento autorizado ocorreu em setembro de 2019, quando o percentual mnimo passou de 10% para 11%.

Os postos que tiverem diesel com 11% de biodiesel adquirido antes de 1 de maro podero continuar vendendo o produto at o final dos estoques.

Postado em: 03-03-2020
Fonte: Site ANP

Venda de combustveis no Brasil cresce 2,89% em 2019

Em 2019, 140 bilhes de litros de combustveis foram vendidos no mercado brasileiro. O volume representa um aumento de 2,89% na comparao com 2018, quando foram comercializados 136 bilhes de litros. Os dados foram apresentados no Seminrio de Avaliao do Mercado de Combustveis realizado dia 18/02/2020 no Rio de Janeiro, pela Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis (ANP).

O maior aumento proporcional ocorreu no comrcio de etanol hidratado, que subiu 16,2% em 2019. O crescimento foi motivado, em grande parte, pelo ganho de competitividade em relao gasolina C , pontua a ANP em nota.
A gasolina C a gasolina com adio de etanol anidro vendida aos postos revendedores e em seguida ao consumidor final. Sua comercializao teve, no ano passado, retrao de 0,56% na comparao com 2018. O etanol anidro (misturado gasolina), tambm teve essa ligeira queda de desempenho. A reduo das vendas foi igualmente de 0,56%.

De outro lado, houve crescimento de leo diesel B (2,97%) e biodiesel (8,61%). Nesse segundo caso, o aumento j era esperado. Em setembro do ano passado, a ANP aprovou um aumento do percentual de adio de biodiesel ao leo diesel.
Segundo o diretor da ANP, Felipe Kury, a expectativa que a tendncia de crescimento se mantenha em 2020 e acompanhe a economia do pas.
Se a economia crescer a 2 ou 3%, voc ter o reflexo disso na venda de derivadas. No tenho dvidas disso. A principal preocupao so os gargalos de infraestrutura. No tanto a oferta de produto. Ser que a infraestrutura logstica suporta um crescimento de 2 a 3%? Ser que portos, ferrovias,
rodovias esto preparadas para escoar a produo? Essa uma questo importante, mas acho que o governo est tratando disso com bastante afinco e dedicao , disse.

Outros Produtos

Os dados da ANP tambm revelaram uma queda na comercializao de gs liquefeito de petrleo (GLP) de 0,3%. Tambm houve reduo, de 2,57%, nas vendas de querosene de avio. A ANP avalia que a suspenso das operaes da Avianca no Brasil impactaram nos negcios.

O leo combustvel tambm sofreu queda de 18,25%. Saiu de 2,312 bilhes de litros para 1,890 bilhes de litros em funo da continuidade do processo de substituio
tecnolgica por combustveis mais limpos , diz a ANP.

Postado em: 02-02-2020
Fonte: Site Isto Dinheiro

Mercado de veculos seminovos inicia o ano em alta

Ao contrrio do ano passado que o mercado de seminovos, aqueles com at trs anos de uso, seguiu na contramo dos veculos usados mais velhos, 2020 comeou com resultados positivos para o segmento. Segundo balano divulgado pela Fenauto, Federao Nacional das Associaes de Revendedores de Veculos Automotores, as vendas de seminovos, incluindo automveis, comerciais leves, pesados e motos, atingiram 195.273 unidades em janeiro, com crescimento de 3,9% sobre o primeiro ms de 2019.


E ao contrrio dos demais segmentos, que sofreram queda na faixa de 7% no comparativo com dezembro, os seminovos evoluram 0,5% na passagem mensal. Em relao a janeiro do ano passado, as vendas caram 3,1% no segmento denominado usados jovens, com 4 a 8 anos de uso, com 459.358 unidades comercializadas, enquanto cresceram 15,3% e 9,5%, respectivamente, nos outros dois segmentos, o de usados maduros (9 a 12 anos, com 269.443 veculos negociados) e de velhos (acima de 13 anos, com 293.335 unidades).


Na mdia dos quatro segmentos avaliados pela Fenauto, que inclui os seminovos, as vendas de usados atingiram 1.217.360 veculos em janeiro, alta de 4,6% sobre o total de 1.163.377 comercializado no mesmo ms do ano passado e queda de 5,8% em relao a dezembro (1.292.174), que tradicionalmente um ms mais forte no mercado automotivo.

Postado em: 03-01-2020
Fonte: Auto Indstria

BRASILCOM promove evento Personalidade do Ano 2019

O ministro Bento Albuquerque recebeu o Prmio Personalidade do Ano 2019 da Federao BRASILCOM pela atuao frente do Ministrio de Minas e Energia, que tem trabalhado firme pelo fortalecimento do segmento, da economia e pela gerao de empregos. O deputado Christino ureo tambm foi homenageado pela sua atuao parlamentar, especialmente pela criao da Frente para o Desenvolvimento Sustentvel do Petrleo e Energias Renovveis, a Freper.

O presidente da BRASILCOM, Maurcio Rejaile, agradeceu as iniciativas dos representantes do executivo e do legislativo brasileiros e destacou a fundamental importncia das agendas conjuntas com diferentes instituies no combate fraude fiscal para garantir o sucesso desejado e planejado nas transformaes do setor de combustveis.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, agradeceu emocionado a sua escolha para recebimento do Prmio BRASILCOM Personalidade do Ano 2019, que ocorreu dia 28 de novembro, no Rio de Janeiro. O ministro corroborou com o discurso do presidente da Federao BRASILCOM, Maurcio Rejaile, ao posicionar a iniciativa Abastece Brasil como um frum de debate com o segmento e um dos princpios norteadores para a governana, a previsibilidade, as seguranas jurdica e regulatria, a agenda prioritria do ministrio relacionada ao setor energtico, a garantia do abastecimento no novo cenrio do downstream, a atrao de investimento em refino de petrleo, a infraestrutura para armazenamento, o movimento dos insumos e o combate sonegao e adulterao de combustvel.

O ministro se mostrou otimista com a entrada de novos agentes no mercado e a realizao de investimento downstream no refino, transporte, a comercializao, e como objetivo principal o aumento da concorrncia e da competitividade, bem como a consolidao da prtica de mercado em um ciclo virtuoso e perene de crescimento e sustentabilidade em benefcio da sociedade. A atuao da BRASILCOM e das suas associadas pea chave na parceria com o governo federal para o desenvolvimento de sistemas e alcance dos resultados planejados, afirmou.

O deputado federal Christino ureo tambm agradeceu a homenagem recebida. dia de agradecimento. Qualquer homenagem que recebemos no pessoal. Junto comigo existem pessoas comprometidas que trabalham muito pelo desenvolvimento deste segmento, seja no meu gabinete, na Freper, na Comisso de Minas e Energia ou em diversas outras esferas. Tenho o sentimento de gratido, e reafirmo que teremos bons desafios pela frente, afirmou o deputado.

Jardim das Borboletas recebe R$ 30 mil em doao da Federao BRASILCOM


A premiao concedeu ao ministro a escolha de uma entidade sem fins lucrativos para receber a quantia de R$ 30 mil reais para suas atividades sociais. O ministro indicou a Ong Jardim das Borboletas, organizao que cuida da assistncia de crianas com Epidermlise Bolhosa, uma doena gentica que afeta a pele e os rgos internos, e pela fragilidade da pele e da mucosa so conhecidas como crianas borboletas.

A presidente do Jardim das Borboletas, Aline Teixeira, recebeu das mos da mulher do ministro, Mrcia Albuquerque, o cheque com a doao. Aline agradeceu o gesto de sensibilidade com as crianas atendidas e o apoio de pessoas de diferentes lugares do Brasil ao projeto.


Postado em: 04-12-2019
Fonte: Site da Federao BRASILCOM

Vendas de veculos crescem 11% at agosto

De acordo com dados de emplacamentos, divulgados pela Fenabrave Federao Nacional da Distribuio de Veculos Automotores no dia 2 de setembro, as vendas de veculos apresentaram crescimento de 11,27% no acumulado de janeiro a agosto, ante o mesmo intervalo de 2018, somando 2.615.519 unidades emplacadas, considerando automveis, comerciais leves, caminhes, nibus, motocicletas, implementos rodovirios e outros.

Segundo o Presidente da FENABRAVE, Alarico Assumpo Jnior, o resultado segue apoiado nas Vendas Diretas. "No acumulado de janeiro a agosto, as Vendas Diretas representaram fatia de 45,12% dos emplacamentos de Automveis e Comerciais Leves, contra 41,51% no mesmo perodo de 2018. O varejo cresceu 2,57% nesse perodo, enquanto as Vendas Diretas avanaram 17,23%", comentou o Presidente da entidade.

Porm, o desempenho mensal do mercado total apontou leve queda, segundo os dados da FENABRAVE. As 347.091 unidades vendidas em agosto representaram retrao de 0,67% sobre julho, e de 1,5% sobre as vendas de agosto de 2018. O mercado tem se mantido estvel, nos ltimos meses. A variao negativa, observada em agosto, est relacionada ao menor nmero de dias teis (22 dias em agosto contra 23 dias em julho). Nessa comparao, a mdia diria registrou crescimento de 3,91% , explicou Assumpo Jnior, confirmando a tendncia de crescimento do mercado.

Assumpo Jr. comentou, ainda, a relao do desempenho do mercado com o atual cenrio econmico e poltico do Pas. Enquanto no forem aprovadas as Reformas necessrias, tanto os consumidores quanto os empresrios estaro em compasso de espera para fazerem investimentos. Este sentimento no s com a Distribuio de Veculos. Todos os setores da economia esto vivendo a mesma situao, complementou o Presidente da entidade.

Desempenho dos segmentos

Os segmentos de Automveis e Comerciais Leves apresentaram, de janeiro a agosto, alta de 8,71% sobre o mesmo intervalo do ano passado, somando 1.711.797 unidades. Na mesma comparao, o mercado de caminhes continua em ascenso, apontando avano de 40,92%, somando 65.446 unidades. As vendas de implementos rodovirios acompanharam esse mesmo ritmo, registrando alta de 51%, com 42,5 mil unidades comercializadas. A comercializao de motocicletas registrou alta de 13,95% no acumulado de janeiro a agosto, totalizando 708.871 unidades.

Postado em: 04-09-2019
Fonte: Fenabrave

Contran acaba com obrigatoriedade do uso de simuladores para tirar habilitao

O Conselho Nacional de Trnsito (Contran) decidiu nesta quinta-feira (13) que o uso de simuladores na formao de motoristas no ser mais obrigatrio. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcsio de Freitas, que preside o Contran, o uso do simulador ser opcional.

A mudana, que havia sido defendida pelo presidente Jair Bolsonaro em fevereiro, comea a valer em 90 dias. Na avaliao de Freitas, a retirada dos simuladores vai reduzir a burocracia e baixar, em at 15%, o custo para tirar a CNH.

Com fim da obrigatoriedade, a quantidade de horas-aula que o novo motorista tem que cumprir antes de retirar a carteira cair de 25 para 20 horas. Segundo o ministro, quando a exigncia do simulador comeou a vigorar o aluno passou a ter que fazer 25 horas de aula, sendo que 5 horas no simulador.

Segundo o secretrio-executivo do Conselho, Jerry Dias, o condutor que optar por usar o simulador agora poder fazer at 5 horas-aula no equipamento. Assim, ele seria obrigado a fazer pelo menos 15 horas de aula prtica no veculo. So 15 horas obrigatrias no veculo. Ele pode fazer 20 horas no veculo ou, no mnimo, 15 horas no veculo, complementando com 5 horas no simulador , disse. Dias afirmou ainda que hoje o Contran tem mais de 100 resolues tratando da formao de condutores e que o conselho quer reduzi-las.

Eficcia

O simulador no tem eficcia comprovada, ningum conseguiu comprovar que importante para o condutor. Nos pases ao redor do mundo no obrigatrio, mesmo em pases com excelentes nveis de segurana no trnsito , disse o ministro da Infraestrutura. O secretrio-executivo do ministrio, Marcelo Sampaio, espera que auto-escolas que saram do mercado possam voltar com o fim do simulador, o que tambm deve contribuir para baixar os custos para tirar habilitao.

Postado em: 14-06-2019
Fonte: G1 - Autoesporte

RDP Petrleo participa de encontro com o Rei Pel em comemorao aos 100 anos do Hospital Pequeno Prncipe

Na contagem regressiva para o centenrio do Hospital Pequeno Prncipe, em outubro de 2019, o Rei Pel deu o chute inicial s comemoraes com dois eventos especiais realizados, respectivamente, em So Paulo (12/3) e Curitiba (13/3). O maior atleta do sculo 20 participou, nas duas cidades, de um bate-papo que durou cerca de uma hora. Nos encontros, o craquerelembrou fatos histricos da sua carreira e comentou a atual situao do futebol.

Pel apoiador do Complexo Pequeno Prncipe desde 2005, quando emprestou seu nome unidade de pesquisa o Instituto de Pesquisa Pel Pequeno Prncipe. Nestes anos, tem ajudado a sensibilizar a sociedade para a importncia da causa da sade infantojuvenil.

O Encontro com o Rei Pel, bate-papos intermediados pelo jornalista esportivo Paulo Calade, da ESPN Brasil (So Paulo), e pelo ex-futebolista Alex de Souza (Curitiba), reuniu um seleto grupo de apoiadores do maior hospital peditrico do pas. Os eventos foram viabilizados pelo tambm apoiador do Pequeno Prncipe, Helcio Kronberg. O empresrio apresentou aos participantes o seu projeto social, que oferece esportes a crianas matriculadas em escolas pblicas da cidade de Foz do Iguau.

O diretor corporativo do Complexo Pequeno Prncipe, Jos lvaro da Silva Carneiro, salientou que ter o apoio do Pel fez com que a instituio se esforasse ainda mais para praticar a excelncia em todas as suas aes. Pel, por sua vez, salientou a grandeza do trabalho realizado pelo Pequeno Prncipe. Obrigado por me deixarem fazer parte deste time. Quando fiz o milsimo gol pedi para darmos ateno s crianas e jovens brasileiros, completou. Para a RDP Petrleo uma honra fazer parte do grupo de apoiadores do Hospital Pequeno Prncipe.

Postado em: 15-03-2019
Fonte: pequenoprincipe.org.br/noticias

Anef prev alta de 12% no volume de financiamento de veculos em 2019

Seguindo a tendncia de projeo de crescimento para o mercado de veculos, seja da indstria, seja do setor de distribuio, os bancos de montadoras estimam que o crdito para o financiamento desses veculos tambm aumentar em 2019. Projees divulgadas na quinta-feira, 7/2, pela Anef, associao que rene os bancos de montadoras, indicam que dever haver um novo ano de alta tambm para o sistema financeiro.

Nossa estimativa que os recursos liberados tenham um aumento de 12,8% em comparao com o fechamento que alcanamos no ano passado, que foi de R$ 125,4 bilhes, e agora estimamos R$ 141,5 bilhes. No caso do saldo de financiamento, projetamos um crescimento de 11,8%, passando de R$ 201,6 bilhes para R$ 225,3 bilhes, projeta o presidente da Anef, Luiz Montenegro.

Em 2018, o total de crdito liberado para o financiamento de veculos ficou 24% acima do registrado no ano anterior, mostram os nmeros da entidade, o que demonstra que os bancos de montadoras e outras instituies financeiras possuem a liquidez necessria para atender a demanda atual. Para Montenegro, aps o perodo de crise, os brasileiros esto investindo novamente na compra de bens com valores mais elevados.

Mantemos nossa confiana no crescimento econmico e no desenvolvimento social. Mais uma vez, como foi em 2017, nossas expectativas foram superadas e, aps um perodo de recesso, o financiamento volta a crescer, e ser uma possibilidade para quem quer comprar um veculo. Com a queda da taxa bsica de juros, que fechou 2018 em 6,5%, e outros fatores econmicos favorveis, conseguimos garantir uma previsibilidade que gera mais confiana ao consumidor, defende o executivo.

O crescimento do crdito refletiu no saldo das carteiras em 2018, que subiu 18% na comparao com o ano anterior, para R$ 201,6 bilhes. Deste total, o CDC respondeu pela maior parte das operaes R$ 198,2 bilhes, alta de 18,7%. J as operaes de leasing diminuram 8,1%, fechando 2018 em R$ 3,4 bilhes.

Com isso, o CDC respondeu por 52% dos financiamentos, pagamentos vista foram 43% do total de compras de veculos, seguido por consrcios, com 4%, e leasing, com apenas 1%. Para os veculos pesados, que considera as vendas de caminhes e nibus, o Finame representou 55% dos contratos, seguido pelo CDC, com 27%, compras vista foram 10%, consrcios responderam por 5% no segmento e leasing, 3%.

Postado em: 13-02-2019
Fonte: Automotive Business

Agosto tem maior venda de veculos desde janeiro de 2015


O mercado de veculos novos segue em alta no Brasil e registrou em agosto o maior resultado para um ms desde janeiro de 2015, segundo balano da Fenabrave, que compila os emplacamentos anotados pelas concessionrias. tambm o melhor desempenho para agosto desde 2014.

Foram 248.600 unidades vendidas em agosto, em soma que considera os segmentos de automveis, comerciais leves, caminhes e nibus. O volume corresponde a um crescimento de 14,8% em relao a agosto do ano passado e de 14,3% na comparao com julho.

As vendas em agosto superaram, inclusive, a expectativa do setor. O executivo Antonio Megale, que preside a Anfavea, associao que representa as montadoras, havia dito que esperava um mercado de no mximo 230.000 unidades no fechamento do ms. De acordo com ele e outros executivos, a eleio no tem diminudo o fluxo das lojas. O ritmo dirio de vendas tem ficado em torno de 10.000 unidades.

Boa parte das vendas contempla um esforo do mercado de recuperar as vendas perdidas durante a greve dos caminhoneiros, ocorrida no final de maio. poca, com as estradas bloqueadas, milhares de veculos no foram entregues pelas montadoras s concessionrias.

Ao alcanar o maior resultado para um ms desde janeiro de 2015, o mercado apenas retorna a nveis do incio da crise econmica. Em agosto de 2014, por exemplo, quando o setor j enfrentava queda, as vendas somaram 272.400 unidades.

No acumulado do ano, so 1,632 milho de unidades emplacadas, avano de 14,9% sobre igual perodo de 2017. A variao est acima, por enquanto, da previso da Fenabrave para o ano todo, de crescimento de 10% em relao a 2017. A da Anfavea de alta de 11,7%.

Os automveis e comerciais leves, que representam mais de 90% do setor, registraram 239.200 emplacamentos no oitavo ms de 2018, alta de 14% em comparao a igual ms de 2017 e de 14,7% ante julho. O ano acumula 1,574 milho de unidades vendidas, avano de 14,1%.

Entre os pesados, as vendas de caminhes atingiram 7.400 unidades em agosto, alta de 54,3% ante igual ms de 2017 e de 11,3% ante julho. De janeiro a agosto, foram 46.400 unidades emplacadas, expanso de 50,7% ante 2017. Os nibus, por sua vez, tiveram 1.900 licenciamentos em agosto, alta de 5,9% ante agosto do ano passado.

Postado em: 06-09-2018
Fonte: Veja.com Estado Contedo

RDP Petrleo e CFC realizam Campanha do Agasalho 2018 Torcida Solidria

A RDP Petrleo, patrocinadora oficial do Coxa, est realizando em parceria com o Coritiba Foot Ball Club a promoo Torcida Solidria. Para participar, os torcedores podem doar peas de roupas e cobertores para a Campanha de Agasalho 2018, e concorrer a pares de ingressos para o camarote RDP, no Couto Pereira, no jogo contra o Paysandu, e camisas oficiais do Coxa.

Funciona assim: a cada pea de roupa, calado, cobertores, entre outros artigos de frio doados, o torcedor vai receber um cupom que deve ser preenchido e colocado na urna na Central de Scios do estdio Couto Pereira at s 12h do dia 03 de julho.

O clube vai realizar cinco sorteios, nos quais os ganhadores vo receber um par de ingressos para o jogo entre Coxa x Paysandu, no camarote da RDP Petrleo no Setor Pro Tork, dia 04 de julho, e duas camisas do Verdo. Os prmios sero entregues at s 16h do dia aps o sorteio, na Central de Scios.


Confira o regulamento no site oficial do Coritiba Foot Ball Club:

https://coritiba.com.br/artigo/33290/promocao_torcida_solidaria

Postado em: 18-06-2018

Placa do Mercosul adiada e no ser obrigatria em veculos j emplacados

Depois de suspender o projeto, o Conselho Nacional de Trnsito (Contran) publicou nesta sexta-feira (11) ajustes para a adoo das placas de veculos com o padro Mercosul no Brasil. As alteraes atrasaram o incio da implementao mais uma vez, de 1 de setembro para 1 de dezembro de 2018. Este o terceiro adiamento da novidade, que foi anunciada em 2014, deveria ter entrado em vigor por aqui em janeiro de 2016, foi adiada para 2017 e depois por tempo indeterminado. As placas do Mercosul j so usadas na Argentina e no Uruguai. Por outro lado, no haver mais obrigatoriedade de troca de placas para os veculos que j esto em circulao. A resoluo anterior dava prazo de 5 anos (at 2023) para toda a frota nacional rodar com as novas placas. A placa do Mercosul s ser obrigatria para carros novos (a partir de 1 de dezembro), transferidos de muncipio ou de proprietrio, e em outras situaes que exigem a troca de placas. Isso quer dizer que um veculo j emplacado poder circular com o modelo atual at o fim da vida, se permanecer com o mesmo dono e no mesmo muncipio. Em resposta ao G1, o Ministrio das Cidades explicou que a substituio das placas vai acompanhar o ritmo do mercado de veculos novos e usados, sem uma previso exata para atingir 100% da frota nacional. Durante a suspenso de quase dois meses do programa, o Contran discutiu tambm os critrios para que fabricantes dos dispositivos possam se credenciar, com objetivo de reduzir fraudes e falsificaes. "Na prtica, os fabricantes de placa sero obrigados a contratarem os estampadores para produzirem a estampa do novo modelo, e todos devero estar devidamente credenciados junto ao Denatran para a realizao legal da atividade", afirmou o Ministrio das Cidades. Quando comea a valer a nova placa? Comea em 1 de dezembro de 2018; A partir desta data, a placa do Mercosul ser instalada em modelos zero quilmetro, veculos que passarem por processo de transferncia de municpio ou propriedade, ou quando houver a necessidade de substituio das placas; Os proprietrios de veculos que j esto em circulao podem escolher se querem antecipar a troca ou no. Investigao do Ministrio Pblico Em maro, um inqurito foi aberto pelo Ministrio Pblico Federal (MPF) do Amazonas para apurar supostas irregularidades na resoluo que determina a implantao das placas do Mercosul no Brasil. O objetivo, de acordo com o MPF, apurar se foram cometidas irregularidades em benefcio de determinadas empresas de emplacamento e em prejuzo dos consumidores. Comprei carro agora, ele j ter a placa do Mercosul? Ainda no. Os departamentos de trnsito de cada estado tero at 1 de dezembro de 2018 para comear a emplacar com o padro Mercosul. Qual ser o preo? Ainda no existe uma definio de quais sero os valores de novas placas, que sero pagas pelos proprietrios dos veculos, como atualmente. De acordo com o Denatran, a nova resoluo padroniza a produo das placas nacionalmente, o que pode diminuir seu custo. Atualmente, os preos das placas variam de estado para estado. Em So Paulo, o par de placas sai por R$ 128,68, por exemplo. Alm disso, existem as taxas de vistoria e licenciamento que so definidas pelo Departamento de Trnsito (Detran) de cada estado. Placa ter chip e QR Code A nova placa vai ter uma tarja azul, bandeira do Brasil e outra configurao de letras e nmeros. Alm disso, contar com um chip e um cdigo do tipo QR Code para facilitar a identificao dos veculos roubados ou clonados nos pases do Mercosul. Segundo o Denatran, tambm ser possvel o compartilhamento de dados com sistemas de cancelas e portes, que podero ser utilizados em pedgios e estacionamentos.

Postado em: 11-05-2018

Carros brasileiros comeam a adotar placas do Mercosul em setembro

Depois de diversos adiamentos, os carros brasileiros finalmente ganharam uma data para adotarem um novo tipo de placa de identificao com o padro dos pases do Mercosul. Segundo a resoluo publicada dia 8 de maro no Dirio Oficial da Unio (DOU), todos os veculos novos devero adotar a placa a partir de 1 de setembro de 2018. Mas o prazo final para que toda a frota brasileira use esse novo tipo de identificao 31 de dezembro de 2023.

De acordo com o texto, o rgo de trnsito de cada estado decidir o incio da implementao.

Como ser a nova placa?

As placas devero ter o fundo branco com a margem superior azul. No lado esquerdo, dever constar o logotipo do Mercosul, do lado direito a bandeira do Brasil e a identificao da cidade e estado. No centro, haver o nome do nosso pas. Segundo a resoluo, todas as placas tero sete caracteres alfanumricos estampados em alto relevo, com uma combinao aleatria a ser fornecida e controlada pelo Denatran. Atualmente, a combinao formada por trs letras e quatro nmeros.

Para aumentar a segurana e evitar a clonagem, as placas tero chip e cdigo de barras bidimensionais dinmicos (QR code).

Por que as placas vo mudar?

Alm de padronizar o sistema de identificao para os veculos que circulam nos pases do bloco, a unificao das placas tambm tem o objetivo de facilitar as informaes entre os pases, ter maior controle sobre as infraes dos veculos, ajudar no combate clonagem de carros e roubos de carga.


Postado em: 15-03-2018
Fonte: G1 - Revista Auto Esporte

Time alviverde patrocinado pela RDP Petrleo vence primeiro turno do Paranaense

O Coritiba fez bonito na tarde deste domingo (25). Embalado pela torcida, o Verdo venceu o Rio Branco pelo placar de 3x0 e ganhou a Taa Dionsio Filho, o primeiro turno do Campeonato Paranaense 2018. Com isso, o Coxa est garantido na grande final da competio estadual. Os gols do Coxa foram marcados por Alecsandro, Thalisson Kelven e Guilherme Parede.

Postado em: 26-02-2018
Fonte: Site do Coritiba Foot Ball Club

Confira os sortudos que iro assistir Uberlndia Esporte Clube x Coxa

A RDP Petrleo levar 5 torcedores com acompanhante para assistir Uberlndia Esporte Clube x Coritiba nesta quinta-feira, dia 22/02, s 21h30, no Parque do Sabi.

Trata-se da Parceria Premiada voltada aos revendedores de Uberlndia-MG.

So eles:

Adailton - Auto Posto Gentil Uberlndia
Daniel Franklin - Auto Posto Brando Ltda.
Lucas de Farias - Auto Posto 2 Irmos
Otvio Abelar - Auto Posto Muller e Abelar
Wellington Rodrigues - Auto Posto Gaivota

Postado em: 21-02-2018

RDP e Coritiba: juntos novamente

O Coritiba Foot Ball Club anunciou hoje a retomada da parceria com a RDP Petrleo. Patrocinadora oficial do clube, a RDP Petrleo j ir estampar a sua marca na omoplata da camisa coxa-branca no jogo da semifinal da Taa Dionsio Filho, domingo (18), contra o Foz do Iguau.

Tanto para a diretoria do Coritiba, bem como para a RDP Petrleo, a parceria excede a pura exposio de marca. Para a RDP, fazer este investimento tambm valorizar um clube centenrio, guerreiro, forte e competitivo. J para o Coxa, voltar a ter a RDP Petrleo como parceira caminhar ao lado de uma instituio que acredita na fora do esporte para fortalecer a sua marca.

O retorno da RDP como patrocinadora do clube demonstra a confiana do mercado na marca do Coritiba e nos resultados da exposio da marca da empresa aliada ao nosso clube. Ns estamos felizes com esta retomada de parceria, afirmou o presidente Namur.

com muito orgulho e grande satisfao que a RDP Petrleo volta a patrocinar o Coritiba, um clube de extrema tradio no futebol brasileiro. Atravs da retomada desta parceria, fortalecemos ainda mais a identidade j criada entre a RDP Petrleo e o Coxa, time que traduz garra e determinao, colecionando vitrias ao longo de sua trajetria, afirmou Mauricio Rejaile, presidente da RDP Petrleo.

A RDP Petrleo junta-se aos principais patrocinadores do Coritiba, como Caixa Econmica, Pro Tork, Adidas e Bourbon, na categoria 1985 - na hierarquia dos parceiros aqueles que possuem maior exposio nas mdias do clube. Alm da exposio nas camisas do time profissional e das categorias de base, a empresa contar com exposio nos materiais de treino do clube, backdrop, painel do estdio, site oficial e ativaes promocionais com a torcida em jogos do clube.

Postado em: 16-02-2018
Fonte: Site do Coritiba Foot Ball Club

Legislativo dever definir as normas de segurana para fabricao de veculos

O Poder Legislativo poder ter papel determinante na definio das normas e requisitos de segurana para fabricao e montagem de veculos. A mudana est prevista no Projeto de Lei do Senado (PLS) 263/2015, que aguarda votao na Comisso de Constituio, Justia e Cidadania (CCJ). A proposta altera o Cdigo de Trnsito Brasileiro (Lei 9.503/1997) para dar ao Legislativo maior responsabilidade na emisso de normas que criem novas obrigaes para o cidado quanto segurana veicular.

Para o autor do projeto, senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), o objetivo da iniciativa restabelecer a competncia normativa inicial do Legislativo relacionada ao trnsito. De acordo com o senador, esse papel normativo tem sido indevidamente delegado ao Poder Executivo, por meio das resolues do Conselho Nacional de Trnsito (Contran).

Tais resolues so quase sempre conflitantes, confundindo fabricantes, proprietrios e motoristas, em prejuzo da segurana jurdica, inafastvel nos estados democrticos de direito, argumenta o senador na justificativa da proposta.

Adequao

A transferncia da funo normativa para o Contran e os outros rgos estaduais de trnsito ocorreu, segundo Caiado, por conta do dever de responder com rapidez aos crescentes desafios do setor, decorrentes, sobretudo, da evoluo do mercado e do aumento do trfego nos grandes centros. Contudo, ele argumenta que pela Constituio apenas o Poder Legislativo est apto para inovar a ordem jurdica por meio da criao de novos direitos e obrigaes.

A relatora na CCJ, senadora Simone Tebet (PMDB-MS), foi favorvel matria e concordou que o PLS uma forma de corrigir uma inconstitucionalidade. Para ela, novas obrigaes de trnsito no podem ser impostas sem levar em conta o impacto jurdico e financeiro na vida das pessoas.

Os cidados no podem ser surpreendidos por novas exigncias impostas por mero regulamento, especialmente quando se referem obrigao de fazer, que s pode ser imposta por lei, afirma Simone Tebet em seu relatrio.

Competncias

O projeto modifica algumas competncias do rgo mximo executivo de trnsito da Unio, o Departamento Nacional de Trnsito (Denatran). Ele determina que as normas para fabricao de veculos devem ser elaboradas pelo rgo, submetidas ao Contran e em seguida enviadas para a anlise do Congresso Nacional.

Pelo texto, caber ainda ao Denatran estudar os casos que no esto previstos na legislao de trnsito e submet-los autoridade competente do Poder Executivo para que esta proponha ao Legislativo a soluo adequada.

O projeto ser votado em carter terminativo na CCJ, portanto, caso seja aprovado e no houver recursos para deliberao em Plenrio, a proposta seguir para a anlise da Cmara dos Deputados.

Agncia Senado (Reproduo autorizada mediante citao da Agncia Senado)

Postado em: 01-02-2018
Fonte: Agncia Senado

Anvisa aprova novas regras para exposio de cigarros no Posto

A Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) aprovou resoluo com regras mais rgidas para exposio de produtos derivados do tabaco nos pontos de venda. O texto atualiza algumas normas, como a de que os expositores devem ficar apenas na parte interna dos estabelecimentos e manter o mais distante possvel de produtos destinados ao consumo de crianas e adolescentes, como doces e brinquedos.

A nova resoluo dever ser publicada no Dirio Oficial da Unio nos prximos dias. Com a atualizao, os comerciantes no podero colocar painis com luz direcionada para dar destaque aos produtos em vitrines, nem usar recursos de sonorizao e movimento. A resoluo tambm traz advertncias sobre os riscos de fumar algumas substncias como, por exemplo, o benzeno, que est presente tanto no cigarro quanto na gasolina.

O texto ainda probe o condicionamento da venda de produtos como cinzeiros ou isqueiros compra de tabaco ou derivados. Tambm proibida a comercializao, pela internet, e a distribuio de brindes ou amostras grtis.

A disposio grfica das advertncias sanitrias no centro dos expositores ou mostrurios deve ser alterada at 25 de maio de 2019. J o isolamento entre os derivados do tabaco e os produtos infantis deve ocorrer at 25 de maio de 2020.

A indstria do tabaco solicitou ampliao do prazo para atender s novas regras, conforme outra resoluo da Anvisa aprovada em dezembro, no entanto, o pedido foi indeferido.


Postado em: 25-01-2018
Fonte: Gazeta Online

Setor de veculos tem o maior crescimento em quatro anos

Com alta de 24,5% em relao a igual perodo de 2016, as compras de veculos no Brasil tiveram em setembro a maior taxa de crescimento dos ltimos quatro anos, em comparao com o mesmo ms do ano anterior. Desde abril de 2013, quando os emplacamentos subiram mais de 29%, o mercado no registrava avano to expressivo. Diante dos nmeros positivos, a Federao Nacional da Distribuio de Veculos Automotores (Fenabrave) revisou para cima a projeo do aumento das vendas.

Para 2017, o setor esperava vender 4,3% a mais do que em 2016. Mas, aps apurar alta de 7,9% do total vendido nos nove primeiros meses deste ano (1,6 milho de unidades), a Fenabrave elevou a expectativa de crescimento para 9,9%. A projeo se baseia na confiana de que o mercado vai movimentar uma mdia prxima de 200 mil veculos por ms at dezembro, a exemplo do que ocorreu em setembro, quando os licenciamentos de carros de passeio, utilitrios leves, caminhes e nibus chegaram a 199,2 mil.

Pela anlise da Fenabrave, a reduo do desemprego, que comeou a cair antes do previsto, permitiu uma melhora na confiana dos consumidores. Alm disso, a recuperao do crdito a automveis, que mostra alta de 8,3% neste ano, a queda de juros e a melhora da renda foram citadas pela federao como fatores que vm permitindo a recuperao do mercado.

Tambm ajudou a melhorar os volumes a safra recorde de gros, que estimulou as vendas de veculos de carga. Ainda que no tenha divulgado as previses para 2018, o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpo Jr., disse ter confiana de que os nmeros do ano que vem sero ainda melhores.


Postado em: 04-10-2017
Fonte: O Tempo

Vendas caminham para o melhor ms desde dezembro de 2015

At sexta-feira, 18, foram emplacados em agosto 113,3 mil unidades de veculos no Pas, de acordo com dados do Renavam, Registro Nacional de Veculos Automotores, apresentados AutoData por uma fonte do mercado. Caso mantenha este ritmo nos prximos nove dias teis at o fechamento do ms de agosto, no dia 31, os emplacamentos chegaro a 207 mil unidades, o melhor desempenho desde dezembro de 2015.

O volume envolve tambm os emplacamentos de caminhes e nibus. De 2015 pra c, o ms em que mais houve licenciamentos foi dezembro do ano passado, quando foram registrados 204 mil 329 emplacamentos. Apesar de mostrar uma recuperao das vendas no mercado nacional que vinha abaixo da casa dos 200 mil desde ento , o volume segue distante do patamar observado no ano de 2013, quando os licenciamentos mensais superavam as 300 mil unidades.

De janeiro a julho deste ano foram emplacados 1 milho 204 mil 260 veculos no Pas, a uma mdia diria de pouco menos de nove mil veculos, apontaram dados da Anfavea divulgados no incio deste ms. A quantidade de licenciamentos foi 3,4% maior do que a verificada no mesmo perodo em 2016. Para a entidade, o desempenho traduz a confirmao da retomada das vendas de automveis e diminuio das perdas no segmento de caminhes. Ao contrrio do anunciado para produo e exportaes, a Anfavea ainda no reviu projees de vendas internas para o ano. A entidade manteve em julho, em seu ltimo balano do setor, a expectativa de crescimento de 4% no mercado brasileiro.

Segundo o presidente da Anfavea, Antonio Megale, a entidade ainda no tem confiana para alterar os clculos. Para ele, o crescimento no semestre est ainda abaixo do projetado para o ano.

Boletim AutoData Mercado 19/08/2017 Pg. 4 e 5

Fonte: Fenabrave

Postado em: 22-08-2017
Fonte: Fenabrave

Venda de veculos novos cresce no semestre pela 1 vez desde 2013


A venda veculos novos no Brasil cresceu 3,65% no primeiro semestre do ano, em relao ao mesmo perodo do ano passado, segundo dados divulgados pela associao dos revendedores (Fenabrave) no dia 4 de julho. o primeiro resultado positivo para o semestre desde de 2013.

Entre janeiro e junho, 1.019.400 unidades novas de carros, comerciais leves, caminhes e nibus foram emplacadas no pas. No mesmo perodo de 2016, foram 983.495 unidades.

O avano foi puxado pelos carros de passeio e comerciais leves, que tiveram uma alta de 4,25% no primeiro semestre.

J o setor de veculos pesados (nibus e caminhes) ainda registra um declnio de 13,8%, embora tenha mostrado melhora no final do semestre.

Em junho, o resultado foi praticamente o mesmo de maio, com 194,9 mil unidades, o que representa uma alta de 13,5% na comparao com o mesmo ms do ano passado.


Postado em: 06-07-2017
Fonte: G1 (Auto Esporte)

Reajuste de combustvel agora pode ser at dirio, diz Petrobras

RIO - A Petrobras informou nesta sexta-feira (30/6) que sua diretoria executiva aprovou a reviso da poltica de preos de diesel e gasolina que passaro a ter revises mais frequentes podendo ser at mesmo dirias. A empresa aprovou a reviso da poltica de preos de diesel e gasolina vendidos em suas refinarias, que passa a valer a partir da prxima segunda-feira, dia 3 de julho, visando aumentar a frequncia de ajustes nos preos.

A avaliao feita pelo Grupo Executivo de Mercado e Preos (GEMP) composto pelo Presidente, Diretor Executivo de Refino e Gs Natural e Diretor Executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores de que os ajustes que vinham sendo praticados, desde o anncio da nova poltica em outubro de 2016, com revises uma vez por ms no tm sido suficientes para acompanhar a volatilidade crescente da taxa de cmbio e das cotaes de petrleo e derivados, recomendando uma maior frequncia nos ajustes.

Assim, a deciso agora realizar ajustes nos preos, a qualquer momento, inclusive diariamente, desde que os reajustes acumulados por produto estejam, na mdia Brasil, dentro de uma faixa determinada (-7% a +7%), respeitando a margem estabelecida pelo GEMP.

Alm disso, qualquer alterao fora dessa faixa ter que ser autorizada pelo GEMP. A reviso da poltica aprovada permitir maior aderncia dos preos do mercado domstico ao mercado internacional no curto prazo e possibilitar a companhia competir de maneira mais gil e eficiente.

A Petrobras destaca ainda que importante ressaltar que os princpios da poltica de preos, aprovada em outubro de 2016, permanecem inalterados, levando em considerao o preo de paridade internacional (PPI), margens para remunerao dos riscos inerentes operao e o nvel de participao no mercado.




Postado em: 30-06-2017
Fonte: O Globo

Lei que permite descontos em pagamentos vista sancionada

Para o governo, a diferenciao de preos beneficia empresas e consumidores e estimula queda no valor mdio dos produtos


A partir desta tera-feira (27), comerciantes esto autorizados a oferecer preos diferenciados para pagamentos em dinheiro ou carto de crdito ou dbito. O texto foi sancionado sem vetos nesta segunda-feira em cerimnia no Palcio do Planalto pelo presidente da Repblica, Michel Temer, e entra em vigor hoje, com a publicao da lei no Dirio Oficial da Unio.

A nova lei tem origem no Projeto de Lei de Converso 6/2017, decorrente da Medida Provisria (MP) 764/2016 e aprovado no Senado no ltimo dia 31 de maio e, pela Cmara, no dia 24 de maio.

O texto tambm obriga o fornecedor a informar, em local visvel ao consumidor, os descontos oferecidos em funo do meio e do prazo de pagamento. Se ele no cumprir a determinao, ficar sujeito a multas previstas no Cdigo de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/1990).

Taxas
Apesar de proibida em lei, a prtica j era adotada por muitos comerciantes, que ofereciam descontos para quem pagasse com dinheiro. Com a diferenciao na cobrana, eles buscavam evitar as taxas cobradas pelos cartes e a demora para receber o dinheiro.

A proposta no obriga a diferenciao de preos, somente oferece essa possibilidade ao comrcio. No entendimento do relator da medida provisria, deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC), o estmulo ao pagamento vista e em dinheiro pode criar uma situao de concorrncia que leve as administradoras de carto a baixar as taxas cobradas dos estabelecimentos comerciais.

Segundo o Executivo, a diferenciao de preos beneficia empresas e consumidores e estimula queda no valor mdio dos produtos. A medida tambm evitaria a prtica do chamado subsdio cruzado quando os consumidores que no utilizam carto pagam o mesmo preo que os consumidores que utilizam esse sistema de pagamento, sobre o qual incidem taxas.


Postado em: 27-06-2017
Fonte: Portal da Cmara dos Deputados

Nmero de veculos em circulao nas rodovias do pas aumentou 194,1% em 15 anos

Em contraste aos baixos investimentos na melhoria e ampliao da malha rodoviria no Brasil nos ltimos 15 anos, a frota de veculos em circulao no pas aumentou 194,1%, de 2001 para 2016, passando de 31 milhes para 93 milhes.

Na comparao entre 2016 para 2015, o nmero de veculos subiu de 90 milhes para 93 milhes. Essas informaes esto no Anurio CNT do Transporte 2017, divulgado no dia 1de junho.

A frota de motocicletas foi a que apresentou maior crescimento em 15 anos: 420%, passando de 4 milhes para 20 milhes. Na sequncia, esto os automveis, nibus e caminhes.

O diretor-executivo da CNT (Confederao Nacional dos Transportes), Bruno Batista, explica que esse crescimento no nmero de motocicletas em circulao gerou reduo dos passageiros no transporte coletivo e aumentou a ocupao dos espaos das vias por veculos de uso individual, gerando maior lentido no fluxo de veculos.

Postado em: 20-06-2017
Fonte: Anurio CNT

Montadoras de veculos anunciam investimentos de R$ 16 bilhes no Brasil

Com um indcio de retomada do mercado interno e um grande salto nas exportaes, oito fabricantes de veculos instalados no Brasil anunciaram nos ltimos meses investimentos que chegam a um total de R$ 16,35 bilhes at 2021.

Depois de 4 anos consecutivos de queda, entre 2013 e 2016, as vendas no Brasil voltaram a crescer. De janeiro a setembro deste ano, os emplacamentos de carros, comerciais leves, caminhes e nibus novos subiram 7,4%, na comparao com o mesmo perodo de 2016.

De acordo com o novo presidente da Volkswagen do Brasil, o argentino Pablo Di Si, o mercado manter ritmo de 8% a 10% ao ano at 2020, quando o total chegar 2,8 milhes de unidades - um resultado prximo ao registrado em 2008 e bem distante do recorde de 3,8 milhes de 2012.

Mas no s esta expectativa que move as fabricantes. O verdadeiro motor da recuperao a exportao, que saltou 55% neste ano e representa 28% da produo nacional, com recorde de 566 mil unidades at o ms passado.

Com isto, as linhas de montagem esto voltando a operar em um ritmo melhor e metade dos 12 mil funcionrios que estavam com alguma restrio na jornada at julho j voltou ao trabalho. Algumas empresas contrataram mais empregados.


Veja para onde vo os investimentos:


  • General Motors R$ 4,5 bilhes R$ 3,1 bilhes para as fbricas de So Caetano do Sul (SP) e Joinville (SP), e R$ 1,4 bilho na unidade de Gravata (RS), que vai produzir um novo veculo. O valor faz parte de um investimento total de R$ 13 bilhes entre 2014 e 2020.
  • Volkswagen R$ 2,6 bilhes modernizao da 1 fbrica no Brasil, no ABC paulista, para produo de novos modelos, entre eles o Polo. Faz parte de um total de R$ 7 bilhes at 2020, anunciados no ano passado.
  • Scania R$ 2,6 bilhes desenvolvimento de novos produtos e atualizao da fbrica em So Bernardo do Campo (SP) at 2020.
  • Mercedes-Benz Caminhes R$ 2,4 bilhes modernizar as unidades de So Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG) nos prximos cinco anos.
  • VW Caminhes e nibus (MAN) R$ 1,5 bilho renovao de produtos, atualizao da fbrica em Resende (RJ) entre 2017 e 2021.
  • Toyota R$ 1 bilho atualizao da unidade de Sorocaba (SP) para produzir o Yaris.
  • Volvo R$ 1 bilho produtos e servios da diviso de caminhes e nibus.
  • Renault R$ 750 milhes R$ 350 milhes em uma nova fbrica para produo de blocos e cabeotes de motores 1.6 e R$ 400 milhes para ampliao do complexo em So Jos dos Pinhais (PR)

    Postado em: 25-05-2017
    Fonte: G1 - Auto Esporte

Contran altera regra sobre autorizao especial de trnsito para veculos de carga

O Contran (Conselho Nacional de Trnsito) alterou as regras para concesso da AET (Autorizao Especial de Trnsito) para CVCs (Combinaes de Veculos de Carga). As normas esto previstas na Resoluo n 663/2017, publicada no Dirio Oficial da Unio do dia 20 de abril.

As alteraes dizem respeito a veculos com PBTC (Peso Bruto Total Combinado) superior a 74 toneladas e inferior ou igual 91 toneladas, com altura mxima de 4,40 metros e comprimento de 28 a 30 metros.

Segundo o texto, para obter as autorizaes para essas combinaes, ser necessrio atender a um conjunto de procedimentos administrativos, especificaes tcnicas e requisitos de segurana.

Postado em: 15-05-2017
Fonte: Site Abcam

Entrega do Relatrio Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais ser prorrogada para 31 de maio

Braslia (29/03/2017) A entrega do Relatrio Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais (RAPP) ser prorrogada para 31 de maio de 2017 em razo de instabilidades nos sistemas do Ibama, que inviabilizaram o acesso de usurios externos nos ltimos dias. A nova data limite tambm se aplica aos Relatrios de Pneumticos e ao Protocolo de Montreal. Uma normativa ser publicada nos prximos dias para estender o prazo anterior, que terminava em 31 de maro.

O Ibama recomenda que os usurios evitem deixar a entrega para as ltimas semanas. Um grande volume de acessos simultneos pode sobrecarregar os sistemas.

O Relatrio Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais (RAPP), previsto na Lei n 6.938/81 ( 1, Art. 17-C), um instrumento de coleta de informaes de interesse ambiental com o objetivo de colaborar com procedimentos de controle e fiscalizao, alm de subsidiar aes de gesto ambiental. Sua entrega obrigatria para pessoas fsicas e jurdicas que exercem atividades sujeitas cobrana de Taxa de Controle e Fiscalizao Ambiental (TCFA).

Regulamentado pela IN Ibama n 06/2014, o RAPP composto por formulrios eletrnicos divididos em temas especficos. O nmero e os tipos de formulrios a serem preenchidos varia em funo das atividades registradas no CTF/APP.

Para acessar o RAPP v at a pgina de Servios do Ibama. Dentro do sistema, passe a seta do mouse no menu Relatrios submenu Atividades - Lei 10.165/00 .


Postado em: 30-03-2017
Fonte: Site Ibama

Governo eleva para 8% mistura obrigatria de biodiesel no diesel comum

O governo federal elevou de 7 para 8 por cento o percentual obrigatrio de mistura de biodiesel no diesel comum vendido ao consumidor a partir de 1 de maro de 2017, segundo publicao do Ministrio de Minas e Energia (MME) no Dirio Oficial da Unio.

A mistura obrigatria ser elevada para 9 por cento a partir de 1 de maro de 2018 e a 10 por cento em 1 de maro de 2019, de acordo com a resoluo.

"Com adoo do novo percentual para 8 por cento, o Brasil tambm abre espao para a reduo das importaes de leo diesel, alm de favorecer a agricultura familiar e o agronegcio brasileiro, por meio do incentivo produo", disse o MME.

Segundo o ministrio, o pas est entre os dois maiores produtores do biocombustvel, junto com os Estados Unidos, tendo ultrapassado de forma definitiva os produtores europeus, primeiros a utilizarem o biocombustvel em larga escala.

Apenas nos ltimos dois anos, com a adio dos 7 por cento do biodiesel ao diesel convencional, a capacidade instalada de produo chegou a 7,2 bilhes de litros, disse o ministrio, acrescentando que o volume suficiente para atender a mistura de 10 por cento, estimada em seis bilhes de litros quando da sua vigncia, em 2019.

Fonte: Reuters

Globo.com

Postado em: 02-03-2017

ANTT alerta para prazos de recadastramento no RNTRC

AANTT (Agncia Nacional de Transportes Terrestres) alerta os transportadores paraa antecipao do vencimento dos certificados do RNTRC (Registro Nacional deTransportadores Rodovirios de Cargas) que valeriam at o perodo de 2017a 2020.

Essesdocumentos devero ser renovados at o ltimo dia de maio de 2017, conformecronograma descrito na Portaria Suroc n 230, de 13 de outubro de 2015. A datade vencimento do registro est vinculada ao final da placa dos veculoscadastrados.

Parasaber a data limite para solicitar o recadastramento no RNTRC, o transportadordever verificar a validade de seu certificado na Consulta Pblica de Transportador.Para acessar, clique aqui.


Com informaes da ANTT

Fonte: CNT - Confederao Nacional do Transporte

Postado em: 15-02-2017

Financiamento de veculos cai 12,4% no Brasil em 2016, diz Cetip

O nmero de veculos vendidos com financiamento no Brasil recuou 12,4% em 2016, na comparao com o ano anterior, segundo informou dia 13 de janeiro a Cetip, que opera a base integrada de dados que rene o cadastro das restries financeiras de veculos oferecidos como garantia em operaes de crdito.

o quinto ano consecutivo de nmeros menores para as aquisies com crdito, mas o ndice menor que os 17% registrados em 2015. Desde 2011, o volume s cai.

No total, foram 4,65 milhes de carros, comerciais leves, motos, nibus e caminhes financiados no ano passado.

Os modelos novos puxaram a queda, com baixa de 25,6%, para 1,7 milho de unidades.

O valor superior aos 20,1% de recuo na venda de veculos novos em geral, incluindo o pagamento a vista.

Segundo a associao de fabricantes (Anfavea), as vendas a prazo atingiram um mnimo histrico de 51,7% das vendas em novembro.

J os usados apresentaram variao negativa de 2% nos financiamentos, para 2,91 milhes de unidades.

Automveis
Entre os carros de passeio, apenas os "usados maduros" (entre 9 e 12 anos de idade) avanaram, com alta de 16,3% na comparao com 2015.

No entanto, a maioria dos usados financiados em 2016 tinha de 4 a 8 anos, que so considerados "usados jovens". Foram 1,45 milho de unidades. Os seminovos (at 3 anos) somaram 778 mil unidades.

Tipo de crdito
A grande maioria das vendas a prazo so feitas pelo Crdito Direto ao Consumidos, o CDC, que representou 80,7% do total. Os consrcios ficaram com 16,6%, e o leasing com 1,2%.

O prazo mdio para o pagamento foi de 36,9 meses para veculos novos e chegou a 42,8 meses para os usados de 4 a 8 anos., segundo a Cetip.

Motos
As vendas financiadas de motocicletas sofreram queda de 21,3% em 2016, mesmo com uma leve alta de 0,7% nos contratos deste tipo para modelos usados.

Fonte: G1 - Auto Esporte

Postado em: 20-01-2017

Anfavea revela balano de 2016 e projeta crescimento para 2017

A Associao Nacional dos Fabricantes de Veculos Automotores, Anfavea, apresentou no dia 5 de janeiro, em So Paulo, o balano final da indstria automobilstica brasileira em 2016. Na ocasio a entidade tambm apresentou suas projees para 2017.

O licenciamento de autoveculos no ano passado foi de 2,05 milhes de unidades, queda de 20,2% frente as 2,57 milhes de unidades vendidas em 2015. Somente em dezembro o melhor ms do ano foram negociadas 204,3 mil autoveculos, crescimento de 14,7% ante as 178,2 mil unidades de novembro e baixa de 10,3% se comparado com as 227,8 mil de dezembro de 2015.

Para Antonio Megale, presidente da Anfavea, vrios fatores contriburam para este desempenho: o primeiro a confiana em baixa, em razo da instabilidade poltica vivida pelo Pas, que fez investidores e consumidores adiarem suas decises. O segundo o acesso ao crdito, resultado da conjuntura socioeconmica, que tornou as instituies financeiras muito seletivas na hora da concesso. A consequncia disso foi que a participao de vendas financiadas no total do licenciamento nos patamares mais baixos da srie histrica.

A produo em 2016 foi de 2,16 milhes de unidades inferior em 11,2% ao se defrontar com as 2,43 milhes de unidades do ano anterior. No ltimo ms do ano as 200,9 mil unidades fabricadas indicam diminuio de 7,1% contra as 216,3 mil de novembro e de expanso de 40,6% quando analisado com as 142,8 mil do mesmo ms de 2015.

Nas exportaes o cenrio foi de alta: 520,3 mil unidades foram negociadas com outros pases, alta de 24,7% sobre as 417,3 mil unidades de 2015. Em dezembro 62,9 mil veculos atravessaram as fronteiras, nmero 11% maior em relao a novembro, com 56,7 mil unidades, e 36,1% acima ante as 46,2 mil de dezembro de 2015.

Caminhes e nibus

As vendas de caminhes em 2016 registraram 50,6 mil unidades, contrao de 29,4% diante das 71,7 mil unidades do ano anterior. Na anlise ms a ms, as 4,5 mil unidades comercializadas em dezembro ficaram 17,1% acima das 3,8 mil de novembro e 20,8% inferior as 5,6 mil unidades de dezembro de 2015.

Na produo o ano fechou com baixa de 18,2% ao se comparar as 60,6 mil unidades com as 74,1 mil de 2015. Saram das linhas de montagem em dezembro 4,2 mil unidades, menor em 21,2% do que novembro, com 5,4 mil, e 63,6% superior as 2,6 mil de igual perodo de 2015.

As exportaes em 2016, com 21,5 mil unidades, subiram 2,3% frente as 21 mil unidades negociadas em 2015. Na anlise mensal, dezembro apresentou resultado maior em 6,8%: foram 2,4 mil unidades no ltimo ms e 2,2 mil em novembro. E apresentou crescimento de 131,7% ante as mil de dezembro de 2015.

No segmento de nibus as vendas foram de 11,2 mil unidades, recuo de 33,5% frente as 16,8 mil de 2015. No ltimo ms do ano foram comercializados 667 nibus, aumento de 9,3% ante as 610 de novembro e de contrao de 48,6% sobre as 1,3 mil de dezembro de 2015.

A produo ao longo de 2016 registrou 18,7 mil chassis para nibus baixa de 13% diante das 21,5 mil de 2015. Foram produzidos 979 chassis em dezembro, diminuio de 38,7% se defrontado com as 1,6 mil de novembro e de alta de 81% contra as 541 de dezembro do ano anterior.

Foram exportados 9,8 mil chassis para nibus em 2016: elevao de 33,2% se comparado com as 7,3 mil de 2015. O resultado das exportaes no dcimo segundo ms de 2016, com 974 unidades, aumentou 32,5 % frente as 735 unidades de novembro e 21,9% ao defrontar com as 799 de dezembro de 2015.

Mquinas agrcolas e rodovirias

Em 2016 foram negociadas 42,8 mil unidades, queda de 4,8% sobre as 45 mil em 2015. No ltimo ms do ano, quando o setor comercializou 4,1 mil mquinas, houve elevao de 14,8% ante as 3,6 mil de novembro e de 84% na anlise com as 2,2 mil de dezembro de 2015.

A produo nos meses transcorridos de 2016 acumularam 53 mil unidades e ficou 4,1% abaixo do que o ano passado, com 55,3 mil unidades. Em dezembro 5,5 mil unidades foram fabricadas, o que representa estabilidade contra novembro e crescimento de 511% contra as 906 unidades do mesmo perodo de 2015.

As exportaes no setor de mquinas agrcolas e rodovirias encerraram o ano com 9,5 mil unidades, o que significa diminuio de 5,7% frente as 10,1 mil de 2015.

Projees para 2017

A Anfavea estima aumento de 4,0% no licenciamento de autoveculos em 2017: a expectativa de comercializar 2,13 milhes de unidades. No caso das exportaes, novo aumento esperado: 7,2%, totalizando 558 mil unidades enviadas para outros pases.

A previso de produo de 2,41 milhes de unidades, 11,9% acima do registrado em 2016. Na viso de Antonio Megale, presidente da Anfavea, existem diversas razes para acreditar em crescimento: a conjuntura macroeconmica indica fatos positivos, como aumento do PIB, inflao convergindo para o centro da meta, redues contnuas da taxa bsica de juros e estabilizao do dlar. Alm disso, a PEC do teto dos gastos j est aprovada, algumas medidas econmicas foram anunciadas, vivenciamos estabilizao do ritmo de vendas e teremos uma base baixa de comparao. Ao juntar todos estes fatores, acreditamos em uma reao sequencial, que passa pela retomada da confiana tanto do consumidor quanto do investidor, reaquecimento do consumo e abertura gradual da concesso de crdito.

A previso da entidade para o setor de pesados tambm de crescimento das vendas em 6,4% contra 2016. Com isso o segmento dever encerrar o ano com 65,6 mil unidades vendidas. A projeo de exportaes do segmento de 34,4 mil unidades, elevao de 10,0%. Assim, a produo dever ser de 100,0 mil, um aumento de 26,1%.

Para o setor de mquinas agrcolas e rodovirias, a projeo de alta das vendas internas em 13,0% sero 49,5 mil unidades em 2017. As exportaes tambm sero 6,0% superiores: 10,2 mil unidades. E a fabricao de novos produtos ser de 59,6 mil unidades este ano, alta de 10,7%.

Fonte: Site Anfavea www.anfavea.com.br

Postado em: 13-01-2017

Licenciamento ambiental de postos de combustveis fica mais rigoroso no Paran

O secretrio Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hdricos, Antonio Carlos Bonetti, assinou nesta quarta-feira (21), uma resoluo que torna mais transparente e rigoroso os licenciamentos ambientais para postos de combustveis no Paran. Os licenciamentos so atribuies do Instituto Ambiental do Paran, vinculado Secretaria do Meio Ambiente.

A Resoluo n 032/2016, debatida pelos tcnicos da Secretaria, do IAP, Mineropar e com o setor, detalha minuciosamente todos os critrios exigidos tanto para licenas de postos j implantados como de novos empreendimentos.

PASSIVOS - Uma das mudanas em relao a resoluo anterior o detalhamento da metodologia para investigaes de passivos ambientais de postos j implantados. Existem muitos postos antigos, que apresentam contaminao de solo e do lenol fretico, por isso os rgos ambientais esto tratando com mais rigor esse tipo de empreendimento. Eles devero apresentar uma investigao tcnica do passivo, explicou a diretora de Licenciamento Ambiental do IAP, Ivonete Coelho Chaves. A nova resoluo tambm detalha todo o procedimento para remediao (recuperao) desses locais, disse.

A assinatura contou com a presena do presidente do IAP, Tarcsio Mossato; do presidente da Mineropar, Jos Antonio Zem; do presidente do Sindicombustveis, Rui Chicella, alm de diretores e tcnicos das instituies. O que muda o rigor na documentao e na fiscalizao do IAP, o que passar a ser exemplo para que outros estados faam o mesmo, disse o secretrio Bonetti.

REQUISITOS Entre os requisitos exigidos est a implantao de tanques de paredes duplas e processo de proteo e controles necessrios aos postos. Alm disso, o laboratrio responsvel pela execuo e emisso de laudos de amostras retiradas de fontes de poluio ambiental dever ter o Certificado de Cadastramento de laboratrio de Ensaios Ambientais concedido pelo IAP.

Ainda de acordo com a resoluo fica proibida a infiltrao direta no solo de efluentes provenientes de guas de lavagem de veculos e do setor de abastecimento, mesmo que tratadas.

Fica proibido o lanamento de efluentes lquidos, direta ou indiretamente em corpos hdricos superficiais como mananciais de abastecimento pblico. Os postos devero realizar o automonitoramento dos efluentes lquidos de acordo com a portaria 256/2013 do IAP.

Para Tarcsio Mossato, com as mudanas estabelecidas pode se construir um Estado ainda melhor. Esse o resultado de anos de estudo junto ao corpo tcnico do IAP e da Mineropar. O trabalho em equipe foi fundamental na elaborao dessa resoluo. E a assinatura dela, a fundamentao de querer fazer mais e melhor, disse ele.

Fonte: site IAP

Postado em: 22-12-2016

Multas de trnsito ficaro mais caras a partir de 1 de novembro

As multas de trnsito ficaro mais caras a partir de 1 de novembro. Com os novos valores, previstos a partir da alterao do Cdigo de Trnsito Brasileiro, infraes gravssimas, cujo valor de multa atual est em R$ 191,54, passaro a R$ 293,47; multas a serem pagas por infrao grave passaro dos atuais R$ 127,69 para R$ 195,23.

As multas cobradas por infraes consideradas mdias aumentaro de R$ 85,13 para R$ 130,16. As leves sero reajustadas dos atuais R$ 53,20 para R$ 88,38.

Tambm a partir de novembro sero reajustados os valores das multas aplicadas a motoristas suspeitos de dirigir alcoolizados que se recusarem a fazer o teste do bafmetro. Nesse caso, a multa passar de R$ 1.915 para R$ 2.934,70. O motorista ter ainda a habilitao suspensa pelo prazo de 12 meses.

Fonte: Agncia Brasil

Postado em: 25-10-2016

Saiba como fazer a renovao do RNTRC Registro Nacional de Transportadores Rodovirios de Cargas


A ANTT Agncia Nacional de Transporte Terrestre lanou um vdeo com o passo a passo do recadastramento do Registro Nacional de Transportadores Rodovirios de Cargas (RNTRC). O vdeo mostra como consultar o registro, e mostra tambm os locais onde possvel renovar o cadastro.
Mantenha-se em dia com seus documentos e apto a exercer o transporte de cargas no Brasil. Clique aqui e confira o vdeo.
Fonte: Fetranspar

Postado em: 26-08-2016

Projeto busca aperfeioar lei que obriga uso do farol durante o dia

A recente alterao no Cdigo de Trnsito queobriga os motoristas a usarem faris baixos durante o dia nas rodoviasbrasileiras motivou a apresentao de outro projeto de lei no Senado (PLS 262/2016).O texto, do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), busca eliminar anecessidade de acender os faris durante o dia em vias urbanas e liberar do usodo farol baixo os veculos equipados com luzes diurnas.

De acordo com o texto, o uso dos faris baixosdurante o dia ser obrigatrio nas vias rurais, que compreende estradas erodovias. Nas vias urbanas, ainda que sejam consideradas rodovias, o uso serdispensado. De acordo com o autor da proposta, em condies de trfego pesado,com a presena de motociclistas, manter todos os faris acesos pode piorar ascondies de segurana.

Valadares tambm lembra que, embora no seja umitem obrigatrio, muitos veculos em circulao no pas j so equipados comluzes de circulao diurna, que servem para deixar o veculo mais visvel. Oequipamento cumpre exatamente a mesma funo para a qual tornou-se obrigatrioo acendimento da luz baixa, explicou.

O texto, apresentado em junho, vai ser analisadopela Comisso de Constituio, Justia e Cidadania (CCJ). Ainda no foidesignado relator para o projeto.

Lei

A Lei 13.290/2016, que determina o uso obrigatrio de farol baixo durante o dia em rodovias, teveorigem no Projeto de Lei da Cmara (PLC) 156/2015, do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), aprovado no Senado no final de abril.

Durante a anlise pelo Senado, a medida,instituda para aumentar a segurana nas estradas, foi defendida pelo relatorda matria, senador Jos Medeiros (PSD-MT), que atuou como policial rodoviriofederal por 20 anos. Para ele, trata-se de um procedimento bastante simples quedeve contribuir para a reduo das mortes nas rodovias.

Agncia Senado (Reproduo autorizada mediante citao da AgnciaSenado)

Fonte: Agncia Senado

Postado em: 01-08-2016

Uso da Terceira Placa deixa de ser obrigatrio em veculos de carga

O Dirio Oficial da Unio publicou a Deliberao Contran n 149, de 28 de junho de 2016, que torna facultativo o uso do Dispositivo Auxiliar de Identificao Veicular, mais conhecido como 3 Placa ou Faixa Ouro, alterando o disposto na Resoluo n 370, de 10/12/2010.

Desde dezembro de 2010, quando a 3 Placa foi criada, a NTC & Logstica se embasou em estudos tcnicos de suas Assessorias que apontavam inconsistncias no plano legal para se posicionar contra a medida.

A Resoluo n 370/10 do Contran continua em vigor, ou seja, a 3 Placa continua existindo. Porm, seu uso facultativo para qualquer veculo de carga. A deciso de us-la ou no fica a critrio de cada transportador.

Fonte: Portal NTC&Logstica

Postado em: 05-07-2016

Definido o tema da Semana Nacional de Trnsito 2016


Em reunio, o Conselho Nacional de Trnsito (Contran) definiu o tema da Semana Nacional de Trnsito para o ano de 2016 que ser: Dcada Mundial de Aes para a Segurana no trnsito 2011/2020: Eu sou + 1 por um trnsito + seguro.
Segundo o Denatran, o tema acompanha a evoluo das aes de campanha de educao de trnsito do rgo, e acompanha as aes da Dcada Mundial de Aes Para a Segurana do Trnsito 2011/2020. A principal finalidade conscientizar o cidado de sua responsabilidade no trnsito, valorizando aes do cotidiano e visando a participao de todos para o alcance da segurana viria.
Ainda segundo o rgo, o ator do trnsito deve ser tratado como algum que tem o poder de decidir o seu destino e que o responsvel pelas prprias aes e sofrer as consequncias de suas escolhas. Assim, o tema Dcada Mundial de Aes Para a Segurana do Trnsito 2011/2020: Eu sou + 1 por um trnsito + seguro, possibilita realizar aes focadas em todos os integrantes do trnsito (pedestres, ciclistas, motociclistas, passageiros e condutores). Cada um responsvel pelas atitudes no dia a dia no trnsito e que cada um pode e faz a diferena!
Semana Nacional de Trnsito
Prevista na Lei 9503, de 23 de setembro de 1997 Cdigo de Trnsito Brasileiro, a Semana Nacional de Trnsito, comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, com a finalidade de conscientizar a sociedade, com vistas internalizao de valores que contribuam para a criao de um ambiente favorvel ao atendimento de seu compromisso com a valorizao da vida focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir o direito de ir e vir dos cidados.
A Semana deve ter uma abrangncia nacional e mostrar a mudana de postura do governo frente a este assunto, alm de ser um convite participao de toda a sociedade no esforo para a reduo de acidentes.
Dcada Mundial de Aes para a Segurana no Trnsito
A Assembleia-Geral das Naes Unidas editou, em maro de 2010, uma resoluo definindo o perodo de 2011 a 2020 como a Dcada de Aes para a Segurana no Trnsito. O documento foi elaborado com base em um estudo da Organizao Mundial da Sade (OMS) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milho de mortes por acidente de trnsito em 178 pases. Aproximadamente 50 milhes de pessoas sobreviveram com sequelas.
Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milho de pessoas devem morrer no trnsito em 2020 e 2,4 milhes, em 2030. Nesse perodo, entre 20 milhes e 50 milhes de pessoas sobrevivero aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A inteno da ONU com a Dcada de Ao para a Segurana no Trnsito poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhes de vidas at 2020.
Fonte: Portal do Trnsito

Postado em: 30-06-2016

Postos de combustveis de SC tero que instalar medidor de volume

A partir do segundo semestre, a Secretaria de Estado da Fazenda de SC, comear a obrigar os postos a instalar o Medidor Volumtrico de Combustvel (MVC). O equipamento, iniciativa do fisco catarinense aprovada pelo Conselho Nacional de Poltica Fazendria (Confaz), mede em tempo real o volume de combustveis nos tanques de estocagem e envia as informaes s fazendas. O MVC tambm ser til para alertar vazamentos, evitando problemas ambientais.

Vai ficar bem mais difcil sonegar impostos nesse setor, que responde por 20% da arrecadao em Santa Catarina e chega a 30% em alguns estados, destaca o secretrio Antonio Gavazzoni. Ele lembra que o Estado tem um dos menores ndices de sonegao de ICMS em combustveis, graas ao controle feito por meio do Emissor de Cupom Fiscal (ECF). Atualmente, 0,5% do que vendido em Santa Catarina adulterado.

A obrigatoriedade do MVC depende de cada estado. Santa Catarina pioneira. No Paran a exigncia ser feita de forma escalonada entre 30 de setembro de 2016 e 30 de setembro de 2018, comeando pelos postos com maior faturamento. A Fazenda poder determinar a instalao imediata em casos de comprovada fraude nas bombas de abastecimento, comercializao de combustvel adulterado ou prtica de sonegao fiscal.

Por enquanto, h um fabricante homologado e outro em fase de homologao. A Fazenda conceder crdito para a compra do equipamento. O decreto para estabelecer os detalhes est em fase de elaborao.

Fonte: Redao do NJ - Notcias de Joinville

Postado em: 13-06-2016

Sancionada lei que obriga farol baixo na estrada durante o dia

O presidente em exerccio Michel Temer sancionou alei que torna obrigatrio rodar em estradas com o farol baixo aceso durante odia. A mudana no Cdigo Brasileiro de Trnsito (CTB) foi publicada no DirioOficial da Unio no dia 24/5/2016 e, segundo o Ministrio das Cidades, comea avaler em 45 dias, ou seja, em 8 de julho, que o prazo para os cidados seadaptarem s novas regras.

Temer vetou o artigo que dizia que a medida entravaem vigor na data da publicao por considerar que "sempre que a normapossua grande repercusso, dever ter sua vigncia iniciada em prazo quepermita sua divulgao e conhecimento". O veto ser submetido ao Congresso.

At ento, o uso de farol s era exigido para todosos veculos durante a noite e em tneis, independentemente do horrio do dia. Paraas motos, o uso das luzes j era obrigatrio durante o dia e a noite.

De acordo com o Departamento Nacional de Trnsito(Denatran), a medida ser vlida para qualquer tipo de rodovia, incluindo asque passam por trechos urbanos e tambm em tneis com iluminao pblica.

Multa e 4 pontos na CNH

O descumprimento ser considerado infrao mdia,com multa de R$ 85,13 e 4 pontos na carteira de habilitao. O valor subir em novembro deste ano, assim como de outras multas.

O projeto de lei foi proposto pelo deputado RubensBueno (PPS-PR), e relatado por Jos Medeiros (PSD-MT) no Senado. O parlamentarconsiderou que a imposio pode aumentar a segurana nas estradas.

Trata-se da imposio de um procedimento bastantesimples e de baixo custo que poder aumentar a segurana nas estradas e assimcontribuir para a reduo da ocorrncia de acidentes frontais nas rodovias e,consequentemente, salvar inmeras vidas, defendeu Medeiros.

Valor das multas subir

Antes de ser afastada para o julgamento doimpeachment, Dilma Rousseff sancionou, em abril, medidas que endurecem aspunies para infraes de trnsito. O valor das multas subir entre 52% e 66% em novembro deste ano.

Alm disso, a punio para o motorista que forflagrado falando ou "manuseando" o telefone passar de mdia paragravssima.

Veja os novos valores:

Infrao leve

- De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)

Infrao mdia

- De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)

Infrao grave

- De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)

Infrao gravssima

- De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

Fonte: globo.com autoesporte

Postado em: 31-05-2016

Frota circulante no Brasil cresceu 2,5%

06/05/2016 O Relatrio da Frota Circulante elaborado com dados at 2015 apontou um total de 42,6 milhes de veculos em uso e aumento de 2,5% no nmero de veculos do Brasil na comparao com 2014. O crescimento foi menor que o de anos anteriores como reflexo da menor entrada de veculos novos no mercado. Como comparao, de 2011 para 2012 a alta registrada foi de 7,4%. Os novos nmeros foram elaborados pelo Sindipeas, entidade que rene fabricantes de componentes automotivos.
Os automveis atingiram 35,3 milhes de unidades e cresceram 2,5% assim como a frota total. A maior alta, 3,2%, ocorreu para os comerciais leves, que atingiram 5,05 milhes de unidades em 2015. O menor crescimento, 0,4%, ocorreu com para a frota de nibus, que totalizou 389,1 mil veculos no ano passado. Foram registrados tambm 13,6 milhes de motocicletas nas ruas em 2015, nmero 1,3% maior que o obtido no ano anterior.
A idade mdia de todos os segmentos analisados subiu. A dos automveis passou de oito anos e nove meses para nove anos. Segundo o Sindipeas, 37% da frota total de veculos tem entre um e cinco anos de idade. Outros 44% tm entre seis e 15 anos. Veculos com 16 a 20 anos respondem por 13% do total.
Chama a ateno o envelhecimento gradativo das motos, que em 2011 tinham em mdia de cinco anos e um ms e em 2015 passaram a seis anos e seis meses, um reflexo direto da queda sucessiva nas vendas do setor desde 2012.
O estudo por combustvel aponta que de 2014 para 2015 os veculos flex passaram de 54,3% para 57,2% e aqueles a gasolina recuaram de 34,3% para 31,7%. Os modelos a diesel mantiveram participao estvel em 9,8%. Os carros movidos exclusivamente a etanol eram 1,2% do total at o fim do ano passado.

Fonte: Automotive Business

Postado em: 09-05-2016

Campeo de 85 Cammarota volta ao Couto para defender pnaltis de torcedores

A ao promocional Chute a Gol realizada pelo Coritiba om apoio da RDP Petrleo, nestesbado (9), no intervalo do jogo contra o Toledo, no Couto Pereira, colocoutrs torcedores alviverdes para bater pnaltis em um dos maiores dolos dahistria do clube: o ex-goleiro Rafael Cammarota, campeo brasileiro em 85.

Os torcedores que conseguissem balanar arede ganhariam um kit com uma camisa modelo retr de 1985 e produtos oficiaisdo clube. Estar aqui no Couto Pereira sempre especial para mim, poderrelembrar do tempo que eu jogava no Coxa, disse o eterno arqueiro alviverde aosite do clube.

Dos cinco torcedores sorteados na promoo,trs compareceram para bater os pnaltis: Renan Ribeiro, Joo Victor e GabrielFialho. Apenas o primeiro conseguiu fazer o gol.

A gente sabia que era um campeo brasileiroque estava ali, ento, no foi fcil, brincou o scio Gabriel Fialho, queerrou o chute. Mas eu achei muito emocionante estar aqui com o Rafael,garantiu.

Fonte: Gazeta do Povo - http://www.gazetadopovo.com.br/esportes/futebol/coritiba/campeao-de-85-cammarota-volta-ao-couto-para-defender-penaltis-de-torcedores-81rb18j30fcq7a2jybbpvtqxg

Postado em: 11-04-2016

Assembleia Legislativa do Paran aprova regulamentao na forma de cobrana de combustveis

A Assembleia Legislativa do Paran (ALEP) aprovou em primeira votao na sesso plenria de tera-feira (05), com 38 votos favorveis, o Projeto de Lei que institui a formatao dos preos para comercializao de combustveis limitado a dois dgitos de centavos diretamente na bomba de abastecimento e com divulgao em local visvel e com destaque.

De autoria do deputado Evandro Arajo (PSC), o texto aprovado reduz o valor anunciado do combustvel a dois dgitos de centavos (R$ 3,64 por exemplo), e no mais a trs nmeros aps a vrgula (R$3,649), como feito atualmente pelos postos de combustvel.

A justificativa do projeto alerta que a estratgia adotada pelos estabelecimentos confunde e causa prejuzos ao consumidor. Para o parlamentar, o terceiro dgito utilizado como mecanismo de disfarce do preo real do combustvel, tratando-se de uma prtica irregular. O projeto j contava com parecer favorvel da Comisso de Constituio e Justia, da Comisso de Defesa do Consumidor e da Comisso de Indstria, Comrcio, Emprego e Renda.

Fonte: www.rbj.com.br

Postado em: 08-04-2016

Conhea os ganhadores da Promoo CARA A CARA COM O CARA RDP Petrleo

A RDP Petrleo sorteou cinco torcedores para participarem da Promoo CARA A CARA COM O CARA no intervalo do jogo entre Coritiba e Toledo que ser amanh, dia 09/04, s 16 horas no Couto Pereira.
Os sorteados ganharam um par de ingressos nas cadeiras sociais superiores do estdio, alm da oportunidade de entrar no gramado para bater um pnalti no ex-goleiro e dolo alviverde Rafael Cammarota.
CONFIRA OS GANHADORES:
1. Gabriel Camilo Fialho
2. Helio Vargas
3. Joo Victor
4. Renan Ribeiro
5. Thiago Licinio
Mais uma vez o torcedor Coxa-Branca surpreende pela grande adeso s aes realizadas pela RDP Petrleo.
Parabns aos ganhadores e at a prxima!

Postado em: 08-04-2016

RDP Petrleo traz o dolo alviverde Rafael Cammarota para ao promocional no Couto Pereira

No prximo sbado, 9/4, a RDP Petrleo ir realizar mais uma ao promocional junto torcida do Coritiba Foot Ball Club.

Para a realizao desta ao, a RDP ir trazer um dos principais dolos que marcaram a histria do Coritiba, o ex-goleiro Rafael Cammarota, campeo brasileiro pelo Coxa em 1985.

Durante o intervalo do confronto entre o Coritiba e o Toledo, cinco torcedores tero a oportunidade de pisar no gramado do Couto Pereira e bater um pnalti com o eterno dolo alviverde Rafael Cammarota no gol. Trata-se da ao CARA A CARA COM O CARA. Os participantes que marcarem o gol iro ganhar uma camisa modelo retr 1985 autografada pelo ex-goleiro, e diversos brindes da RDP Petrleo.

Para participar, basta deixar o comentrio "A RDP vai me deixar cara a cara com o cara no post da promoo no Facebook oficial do Coritiba. Sero aceitos comentrios at s 14h da prxima sexta-feira, dia 8/4. A divulgao dos ganhadores ser no mesmo dia, s 16h, nos veculos oficiais do Coritiba Foot Ball Club e no site da RDP Petrleo.

Os sorteados iro ganhar tambm um par de ingressos para assistir a partida no setor social superior no Alto da Glria. O jogo ser s 16 horas.

Postado em: 06-04-2016

Saiba quais equipamentos devem ser calibrados para evitar autuaes no INMETRO


Gasolina
- Densmetro com escala de 0,700 A 0,750.
- Densmetro com escala de 0,750 a 0,800 com menor diviso de 0,0005 g / ml.
obrigatrio o Certificado de Verificao expedido pelo Inmetro e que acompanha o instrumento no ato da sua aquisio. Porm, nada impede que o posto tenha, tambm, o Certificado de Calibrao emitido por laboratrio da Rede Brasileira de Calibrao ou por outro que utilize padres rastreveis pelo Inmetro.



leo Diesel
- Densmetro com escala de 0,800 a 0,850.
- Densmetro Com escala de 0,850 a 0,900.
O Certificado de Verificao do Inmetro obrigatrio, mas pode ser substitudo pelo de Calibrao.

Gasolina e leo Diesel
- Termmetro para Petrleo e seus derivados, com escala de -10C a 50C e subdivises de 0,2C ou 0,5C.
Um nico termmetro serve para a anlise da gasolina e do leo diesel. Para o equipamento, obrigatrio o Certificado de Verificao do Inmetro, que pode ser substitudo pelo Certificado de Calibrao.


Etanol
- Densmetro com escala de 0,750 a 0,800 densmetro com escala de 0,800 a 0,850 (observao: ambos podem ser substitudos apenas pelo densmetro com escala de 0,770 a 0,820 g/ml).
Tambm obrigatrio o Certificado de Verificao, que pode ser substitudo pelo de Calibrao.
- Termmetro de Imerso total para etanol com escala de -10c a 50c e subdivises de 0,2c ou 0,5c.
Para esse instrumento obrigatrio o Certificado de Verificao, que tambm pode ser substitudo pelo de Calibrao.



Termodensmetro de leitura direta - Esse instrumento deve ser aprovado pelo Inmetro e instalado nas bombas medidoras de AEHC, indicando no seu corpo as instrues de funcionamento.


Para todos os combustveis
Proveta de vidro graduada com capacidade de 1000 ml: no necessria nenhuma certificao.
Medida padro de 20 litros aferida anualmente e lacrada com o selo do Inmetro: tem que ser aprovada pelo Inmetro para receber uma etiqueta de licenciamento.
Rgua medidora ou outro equipamento metrolgico para verificao dos estoques de combustveis armazenados nos tanques: precisam ser aprovados pelo Inmetro.
Fonte: Site Brasil Postos/Notcias

Postado em: 28-03-2016

Aurlio Amaral nomeado diretor da ANP


Foi publicada no Dirio Oficial da Unio desta segunda-feira (28/03) a nomeao de Aurlio Amaral, para exercer o cargo de Diretor da ANP, com mandato de quatro anos.
O novo diretor est na ANP desde 2009. Inicialmente, exerceu o cargo de assessor de diretoria. Em 2010, assumiu a coordenao do escritrio da ANP em So Paulo. Foi superintendente-adjunto de Fiscalizao do Abastecimento de 2011 a 2012, quando foi nomeado Superintendente de Abastecimento da Agncia, cargo que exercia at a nomeao como diretor.
Aurlio advogado formado pela Faculdade de Direito de So Bernardo (So Bernardo do Campo, SP).
Fonte: site www.anp.gov.br - ANP/Assessoria de Imprensa

Postado em: 28-03-2016

Entenda o ARLA 32 e sua armazenagem

O Programa de Controle da Poluio do Ar por Veculos Automotores, PROCONVE, que regulamentado desde 1986 pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), denominado em sua sequncia como PROCONVE P7 ou EURO 5, tem por principal objetivo reduzir o nvel de emisso de gases poluentes na atmosfera por veculos que utilizam diesel.

As metas sugerem diminuio de at 80% na emisso de partculas na atmosfera e cerca de 60% de diminuio de xido de Nitrognio (NOx).

Com base nesses preceitos, para atender o programa, veculos diesel produzidos desde 2012 com a tecnologia SCR (Selective Catalytic Reduction/ReduoCataltica Seletiva) necessitam do componente ARLA 32 para promover a diminuio dos gases poluentes.

O motor SCR trabalha a partir de reduo cataltica seletiva, onde h tratamento dos gases expelidos com aplicao do reagente ARLA 32, eliminando gua pelo escapamento.

A composio ARLA 32 uma soluo a 32,5% de uria de alta pureza em gua desmineralizada. Seu principal objetivo reagir com o xido de Nitrognio presente nos gases de escape dos veculos a diesel.

O ARLA 32 no um combustvel e tambm no um aditivo, atxico e transparente, e precisa de um tanque especfico em veculos com SCR.

A quantidade a ser utilizada depende do volume de combustvel a ser abastecido, mas em mdia so necessrios 5% de ARLA para o total de diesel.

Como armazenar o ARLA 32

Levando-se em conta que a composio ARLA 32 tende a se degradar com ambientais desfavorveis, como altas ou baixas temperaturas, ou ento com incidncia direta da luz solar, sugerido que a armazenagem seja realizada atravs de tanques jaquetados subterrneos.

A norma NBR 16046 de 07/2015 Armazenamento de lquidos inflamveis e combustveis Posto Revendedor veicular e ponto de abastecimento Sistema de Armazenamento e Abastecimento de ARLA 32 indica que o sistema de armazenamento pode ser areo ou subterrneo, podendo haver uma combinao entre os sistemas.

Para o sistema de armazenamento areo vale ressaltar que deve-se considerar a condio de temperatura conforme ABNT NBR ISSO 22241-3:2011, 4.2, assim como evitar a exposio solar para minimizar a deteriorao.

Fonte: site Brasil Postos; site arxo.

Postado em: 23-03-2016

No se deve dar a partida em carro alagado

Em dias de chuva, a dica procurar um caminho por regies mais altas da cidade. melhor optar por um roteiro mais longo do que correr o risco de perder seu patrimnio. Lembre-se: o seguro poder se negar a cobrir os prejuzos caso consiga provar que o motorista foi negligente.

Veja abaixo algumas dicas para o caso de se deparar com um trecho de alagamento.

Como saber se d para passar pelo alagamento?


1) Lembre-se: a entrada de ar do motor costuma estar na altura dos faris (veja na foto abaixo). Assim, a gua no deve ultrapassar a metade da roda.

2) Observe a altura da gua olhando os veculos (nibus, caminhes) que vm no sentido contrrio.

3) Cuidado com valetas, depresses e buracos que possam estar submersos, evitando que a gua alcance a entrada do filtro de ar.

4) Cuidado com as marolas provocadas pelos veculos que seguem no sentido contrrio.

5) Se decidir atravessar, faa-o bem devagar: v devagar, para no criar ondas e fazer a gua alcanar reas mais altas do seu carro.


Se no meio da travessia o motor apagar, NO D PARTIDA: isto um sinal que a gua tampou a entrada de ar do motor. Se voc der a partida, ela ser sugada para dentro do motor e provocar o que chamamos de calo hidrulico, que o travamento das peas internas do motor.

O que fazer se voc estiver dentro do carro e ficar preso em um alagamento?


A primeira providncia desligar o motor. Se possvel, saia do carro. No religue o carro porque o motor sugar a gua do alagamento.

E se meu carro ficou submerso estacionado?

NO D PARTIDA NEM LIGUE A IGNIO. Chame um mecnico para fazer o seguinte procedimento:

1) Retirar o filtro de ar. Ele deve verificar se o filtro est encharcado ou se tem vestgio de gua no compartimento onde ele fica instalado.

2) Se tiver gua no filtro de ar, o mecnico dever remover todas as velas de ignio, para ter acesso aos cilindros do motor, e verificar se a gua alcanou a parte interna do motor. Constatada a presena da gua ele far o procedimento de remoo dessa gua dos cilindros e secagem das velas.

3) O passo seguinte puxar a vareta do leo e verificar se o leo est contaminado com a gua (com aspecto leitoso, esbranquiado). Este um sinal de que ser preciso substituir o leo do motor.

Depois da parte mecnica, leve o veculo para uma empresa especializada em limpeza e substitua as espumas e forraes que forem necessrias, para que seu carro no fique com cheiro de casa de praia. No se esquea de olhar o buraco do estepe.

Fonte: site globo.com - Oficina do G1, por Denis Marum.

Postado em: 22-03-2016

ANTT altera cronograma para instalao das TAG

A Agncia Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) alterou o o cronograma para instalao dos dispositivos de identificao eletrnica (TAG) dos veculos automotores de carga cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodovirios de Cargas (RNTRC).

A identificao eletrnica dos veculos, que obrigatria, dever ser colocada no para-brisa dos veculos. A medida cumpre a Resoluo n 4.799/2015, que integra o projeto de Sistema Nacional de Identificao Automtica dos Veculos (Siniav), definido pelo Conselho Nacional de Trnsito (Contran) e Departamento Nacional de Trnsito (Denatran).

Entretanto, o cronograma para recadastramento no RNTRC est mantido.

Os procedimentos para operacionalizar a instalao da TAG sero divulgados em outro momento, pela ANTT.

Veja o novo calendrio para instalao da TAG, pelo final da placa dos veculos:

1 28/08/2016 a 06/10/2016

2 07/10/2016 a 15/11/2016

3 16/11/2016 a 25/12/2016

4 26/12/2016 a 03/02/2017

5 04/02/2017 a 14/03/2017

6 15/03/2017 a 22/04/2017

7 23/04/2017 a 31/05/2017

8 01/06/2017 a 10/07/2017

9 11/07/2017 a 19/08/2017

0 20/08/2017 a 28/09/2017

Aps 31/12/2016 at 2020:

1 e 2 28/09/2017 a 28/10/2017

3 e 4 29/10/2017 a 25/11/2017

5 e 6 26/11/2017 a 26/12/2017

7 e 8 27/12/2017 a 25/01/2018

9 e 0 26/01/2018 a 25/02/2018

*Com informaes da ANTT

Fonte: ABCAM Associao Brasileira dos Caminhoneiros

Postado em: 21-03-2016

Indicao de novo diretor da ANP aprovada pela Comisso de Infraestrutura

Por 16 votos a 2, a Comisso de Servios de Infraestrutura (CI) aprovou no dia 9 de maro o nome de Aurlio Cesar Nogueira Amaral, indicado pela presidente Dilma Rousseff para o cargo de diretor da Agncia Nacional de Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis. A indicao segue agora para votao em Plenrio.

A sabatina de Nogueira Amaral pelos senadores foi acompanhada pela diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, que esteve presente na reunio da CI.

Durante a reunio, os senadores Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Ricardo Ferrao (PSDB-ES) e Lasier Martins (PDT-RS) quiseram saber a opinio do indicado em relao ao projeto aprovado pelo Senado que desobriga a Petrobras de explorar todas as jazidas no pr-sal. Ele disse considerar inconveniente manifestar sua posio sobre o assunto. Essa uma definio que esperamos do Congresso, assinalou.

A diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, tambm foi convidada a manifestar sua posio pessoal sobre o tema. Ela apoiou a proposta de garantir Petrobras o direito de decidir investir ou no em determinados campos. Ns defendemos que a Petrobras deva ter o direito de recusa toda vez que ela tiver uma oportunidade que ela entenda como aqum do seu interesse econmico e no aderente ao seu portflio, explicou.

O texto, encaminhado para a Cmara dos Deputados, um substitutivo do senador Romero Juc (PMDB-RR) ao PLS 131/2015, do senador Jos Serra (PSDB-SP). Ele revoga a participao obrigatria da Petrobras no modelo de partilha de produo de petrleo, utilizado para a explorao da camada pr-sal.

Pela lei atual, aprovada em 2010, a Petrobras deve atuar como operadora nica dos campos do pr-sal com uma participao de, pelo menos, 30%. Alm de ser a empresa responsvel pela conduo e execuo, direta ou indireta, de todas as atividades de explorao, avaliao, desenvolvimento e produo.

Preos dos combustveis

Flexa Ribeiro tambm questionou a opinio do indicado sobre a poltica de preos de combustveis definida pelo governo por meio da Petrobras. Segundo o indicado, os preos apresentam uma defasagem internacional, mas, ao mesmo tempo, criaram uma oportunidade. H grandes empresas importando diesel e gasolina e, dessa forma, auferindo renda extra atravs dessa importao. Agora, a definio dos preos, infelizmente, est fora do mbito de atribuies da ANP, apontou.

Experincia

Vrios senadores se manifestaram para elogiar o currculo e a experincia do indicado, bem como para fazer comentrios sobre o setor de combustveis e a atuao da ANP. O relator da indicao, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), avaliou que o indicado est "plenamente credenciado" para o posto. Ele ressaltou que Nogueira Amaral possui "experincia profissional tanto no setor pblico quanto no privado".

Em 2009, o indicado assumiu a funo de assessor na diretoria da ANP, tendo atuado em diversos aspectos do marco regulatrio para o setor de petrleo, gs natural e biocombustveis.

Segundo Raupp, Amaral teve uma participao relevante nos programas de regulao da agncia. Em 2010, passou a exercer o cargo de coordenador-geral do escritrio em So Paulo e, em 2011, foi superintendente adjunto de fiscalizao.

Desde dezembro de 2012, o superintendente de Abastecimento, responsvel por coordenar a regulao do abastecimento nacional de derivados de petrleo e biocombustveis.

A ANP o rgo regulador das atividades que integram a indstria do petrleo e gs natural e a dos biocombustveis no Brasil. Vinculada ao Ministrio de Minas e Energia, a agncia responsvel pela execuo da poltica nacional para o setor energtico do petrleo, gs natural e biocombustveis.

Fonte: Agncia Senado

Postado em: 14-03-2016

Aedes Aegypti Faa a sua parte

Dengue, chikungunya e zika. O Brasil est em estado de alerta para combater o agente transmissor dessas trs doenas: o mosquito Aedes aegypti.

Como j foi amplamente divulgado, trata-se de um mosquito urbano que se reproduz em ambientes que possibilitem o acmulo de gua parada e limpa e que podem acontecer em ruas, residncias e estabelecimentos comerciais. Em contato com a gua, os ovos botados pela fmea do origem s larvas, que, por sua vez, se transformam no mosquito transmissor de dengue, chikungunya e zika. Portanto, para evitar a reproduo da espcie, as pessoas devem eliminar pontos de gua parada.

Importante ressaltar que como os postos de combustvel utilizam muita gua, os mesmos podem abrigar diversos pontos de proliferao do Aedes aegypti. Por isso, o Minaspetro reuniu informaes de agentes especializados e enumerou algumas dicas de como combater os focos do mosquito em postos de combustveis. Acompanhe a seguir:

Elimine os focos de reproduo nos postos de gasolina

As canaletas e os canos de escoamento de gua representam um grande perigo. Mantenha-os sempre limpos, sem resduos como plantas e outros materiais, que obstruem esses canais e retm a gua, gerando poas.

Diariamente, lave com bucha e sabo os regadores e baldes utilizados para lavagem de para-brisas. Capriche nas bordas.

Pelo menos uma vez por semestre, limpe a caixa-dgua e no se esquea de mant-la completamente vedada.

Verifique, sempre, principalmente em poca de chuvas, se existem poas dgua nas lajes do seu estabelecimento. Procure deixar os locais sempre secos.

Banheiros desativados so timos ambientes para a reproduo do Aedes aegypti. Para que isso no acontea, tampe completamente a caixa de descarga e deixe o vaso e os ralinhos secos. Nos sanitrios em uso, o ideal que, semanalmente, os ralinhos e os vasos sejam lavados com gua sanitria.

Infelizmente, muitas pessoas que circulam pelo posto eliminam lixo nos jardins. Cheque, diariamente, se h garrafas, latas e tampinhas jogadas em locais inapropriados. Mantenha as plantas sempre podadas e jogue fora folhas soltas.

Nunca deixe o lixo destampado. Se chover, poas dgua podem se formar nas irregularidades formadas no saco plstico cheio.

At na cozinha e no escritrio o estado de alerta deve permanecer. Algumas geladeiras acumulam gua em reservatrios externos. J no escritrio, ateno para o acmulo de gua eliminada pelo ar-condicionado.

Fonte: Revista Minaspetro

Postado em: 09-03-2016

Faixa Ouro voltar a ser obrigatria para veculos de grande porte a partir de 2017

O Conselho Nacional de Trnsito (Contran) revogou a Deliberao n116 de 2011 e reestabeleceu os efeitos da Resoluo n 370 de 2010 que dispe sobre a obrigatoriedade do uso da pelcula refletiva prismtica amarela, mais conhecida como Faixa Ouro, para veculos que possuem peso bruto total de mais de 4.536Kg. A lei, que de dezembro de 2010, volta a ser obrigatria e fiscalizada pelos rgos oficiais.

A faixa ouro proporciona boa visibilidade e contraste necessrios para a leitura dos caracteres, em veculos de carga, por meio de dispositivos eletrnicos de fiscalizao e ainda de agentes de trnsito quando a placa veicular no estiver visvel. Segundo o diretor presidente da Sherman Filmes pticos do Brasil e membro do Comit Brasileiro de Normas - CB16 na ABNT, Eduardo Matos, antes da resoluo havia uma lei que obrigava os veculos de carga a utilizarem uma identificao auxiliar com fundo verde e letras vermelhas pintadas. "As cores tinham baixo contraste e no eram refletivas, o que dificultava a visualizao durante a noite", enfatiza. Alm da boa visibilidade, a nova faixa padroniza a identificao dos caminhes, visando melhor controle e segurana nas estradas.

A faixa deve ter a durabilidade de 10 anos e os dados do veculo (placa, cidade e estado) no podem estar afetados por lavagem, produtos qumicos ou exposio. "As faixas devem ser aplicadas nas duas extremidades da carroceria, sendo as letras e nmeros do lado esquerdo, e a cidade e estado do lado direito. Ela tambm pode ser aplicada em superfcie metlica para carrocerias de madeira", orienta.

O descumprimento desta Resoluo, bem como o trnsito dos veculos com o sistema de identificao auxiliar sem condies de legibilidade e visibilidade constitui infrao prevista no artigo 237 do Cdigo de Trnsito Brasileiro, sujeitando seus proprietrios penalidade de multa, bem como medida administrativa de reteno do veculo para regularizao. A fiscalizao ter incio em 2017, portanto os motoristas devem se regularizar ainda este ano.

Fonte: exame.com; sherman.com.br

Postado em: 09-03-2016

Conhea alguns mtodos para coibir assaltos em postos de servios e lojas de convenincia


Seja pelo ponto do local, com sadas fceis, ou pelo constante fluxo de dinheiro, inegvel que assaltos ocorrem, diariamente, assustando clientes e funcionrios. Evitar roubos pode ser impossvel, mas coibi-los no . No Brasil afora h dezenas de relatos diferentes sobre a questo, com cada posto achando uma forma de ficar longe dos riscos.
Conhea abaixo algumas dicas que auxiliam na preveno de assaltos evitando prejuzos.
- Treine os funcionrios:
Explique aos funcionrios sobre como proceder em caso de assalto, instruindo-os a no reagir. Faa a equipe utilizar cdigos secretos em casos suspeitos e treine-os para acionar equipamentos de segurana, que podem contribuir no registro do crime e busca pelos assaltantes;
- Use placas sinalizadoras:
Criar dificuldades para os assaltantes pode evitar um roubo. Coloque placas sinalizadoras informando que o estabelecimento possui um cofre e que a chave no est no posto, e sim em posse da empresa de vigilncia;
- Adote procedimentos padronizados:
Retirar o capacete no posto j obrigatrio, mas crie o hbito de o cliente precisar desligar o carro para que haja o abastecimento, impedimento fugas rpidas e facilitando a identificao de assaltantes. Outra medida de preveno que os pagamentos sejam feitos no caixa da loja de convenincia, o que obriga o motorista a ter que descer do veculo;
- Fique atento aos movimentos suspeitos:
Os postos ficam em locais de fcil acesso e, por isso, tambm possuem muitas rotas de fuga. Observe movimentos suspeitos, principalmente noite, nos arredores. Alguns postos utilizam cones e correntes ao redor do estabelecimento, para que seja necessrio manobras para sair. Outra dica colocar mais de um funcionrio no perodo noturno, para dificultar a ao de bandidos.
- Contrate segurana privada;
H diversos postos que utilizam empresas de vigilncia privada para aumentar a segurana do local. Vale lembrar que h diferena entre vigias e vigilantes profissionais: o primeiro sinaliza situaes suspeitas, enquanto o segundo pode, por lei, fazer rondas e portar armas.
- Tome cuidado com motocicletas;
A maioria dos roubos praticada por duplas em motocicletas, para facilitar a fuga e a abordagem. recomendvel observar o estado das motos que passam pelo posto, porque muitas vezes so usadas motos velhas, sem placa ou roubadas para a ao dos crimes.
Crie tambm mecanismos de alerta, como um boto para acionar emergncia na bancada perto da bomba.

Fontes:
Site Brasil Postos - https://www.brasilpostos.com.br/noticias/anp/noticias-anp/metodos-para-coibir-assaltos-em-seu-posto-de-servicos/ Intercamp

Postado em: 02-03-2016

Procon notifica postos por cobrana diferenciada de pagamentos

Preos diferentes eram cobrados para pagamento em dbito ou dinheiro

Trs postos de combustveis em Macei foram notificados pelo Procon de Alagoas no dia 16 de fevereiro deste ano, aps serem flagrados cobrando preos diferenciados de acordo com a forma de pagamento. A fiscalizao buscava coibir a cobrana abusiva e apurar denncias de cobranas indevidas.

De acordo com a lei, proibido estabelecer diferenciao entre o pagamento em dbito e o pagamento feito em dinheiro, j que ambos so considerados como pagamento vista. Os fiscais do Procon fiscalizaram 14 estabelecimentos e trs deles foram autuados.

O fiscal do Procon, Roberto Dias, explica que os proprietrios dos estabelecimentos tm dez dias para defesa mas ainda assim sero multados.

A multa pode variar de R$ 600 a R$ 6 milhes, de acordo com o porte do estabelecimento e com a gravidade da situao. Se houver reincidncia, o posto pode at sofrer uma interdio temporria ou o proprietrio ter seu registro cassado, relata Dias.

Correo de placas

Naqueles estabelecimentos onde haviam placas e banners promocionais com a informao de pagamento apenas em dinheiro, os fiscais orientaram e exigiram a correo, de forma a incluir a possibilidade de pagamento em carto na modalidade dbito.

importante esclarecer que pela lei tambm proibido cobrar valores diferenciados na modalidade crdito, se o pagamento for em uma nica parcela. Porm, apenas em Alagoas, os postos de combustveis esto liberados a cobrar valores diferenciados devido a uma liminar concedida aos proprietrios de postos e que vlida apenas para a venda de combustveis.

O valor pode ser diferente apenas para os combustveis. A troca de leo deve ser cobrada com o mesmo valor de a vista, a convenincia tambm tem que cobrar o mesmo valor e todo o resto deve ser assim, explica Dias.

Nos casos em que o consumidor se sinta prejudicado, a recomendao entrar em contato com o Procon, seja para tirar dvidas ou para denunciar, atravs do nmero de telefone 151.

Fontes:
Site Brasil Postos

http://g1.globo.com

Postado em: 25-02-2016

Petrobras bate recorde de produo de Diesel S-10 em 2015

As refinarias da Petrobras encerraram 2015 com um recorde na produo total de Diesel S-10 da ordem de 11,7 milhes de m3. O volume atingido no perodo representa alta de 40% na comparao com o resultado do ano anterior, quando a companhia produziu 8,3 milhes de m3 do derivado. O crescimento da produo contribuiu ainda para a reduo das importaes de Diesel S-10 em 49%, passando de 9,3 milhes de m3 em 2014 para 4,7 milhes de m3 em 2015.

O recorde foi possvel graas a uma melhora do perfil de produo nas refinarias, com aumento do rendimento de diesel no volume total de derivados. A maioria das refinarias produtoras de Diesel S-10 apresentou ganhos significativos na produo do combustvel, com destaque para a Refinaria Abreu e Lima (RNEST). A unidade de Pernambuco foi responsvel por 47% do incremento do Diesel S-10, quando comparados 2014 e 2015.

O resultado reflexo da melhoria da eficincia operacional no processo produtivo da Petrobras. O recorde refora ainda o compromisso da companhia em atender a demanda do mercado brasileiro por derivados de petrleo e foi alcanado respeitando os princpios de Segurana, Meio Ambiente e Sade que norteiam as aes da Petrobras.

O Diesel S-10, com baixo teor de enxofre, proporcionou a introduo no Brasil de veculos com modernas tecnologias de tratamento de emisses que, entre as principais vantagens, reduzem em at 80% as emisses de material particulado e em at 98% as emisses de xidos de nitrognio. Alm disso, propiciam outros benefcios, tais como a melhora da partida a frio, o aumento dos intervalos de troca do lubrificante, melhor desempenho e maior vida til do motor.

Postado em: 15-02-2016

Contran torna obrigatrio sistema ABS no freio de moto nova


De acordo com a resoluo publicada pelo Conselho Nacional de Trnsito (Contran) em 9 de dezembro de 2015, em janeiro deste ano comeou a exigncia de que motos zero quilmetro tenham sistemas de freio ABS ou CBS. A obrigatoriedade vai valer, primeiro, para 10% das motocicletas novas produzidas no Brasil ou importadas. At 2019, chegar a 100%.

As motos novas que tm menos de 300 cc podero ser equipadas com freios ABS, como o dos carros, que evita o travamento das rodas, ou com o CBS, que distribui proporcionalmente a fora de frenagem para as duas rodas, a fim de garantir uma desacelerao rpida e segura.

Para motos com mais de 300 cc ser obrigatrio o ABS. Em motos de alta cilindrada, o sistema de freios ABS j est presente na maioria dos modelos.

O que o ABS
O Anti-lock Braking System (sistema antitravamento de freios, em portugus), obrigatrio desde janeiro deste ano para carros novos, impede que as rodas travem na frenagem brusca. O ABS permite frear forte a moto sem que a roda traseira levante. Ao acion-lo, a alavanca do freio ou o prprio pedal podem trepidar, o que normal.

O que o CBS
CBS sigla em ingls para "Combined Braking System" (sistema de freios combinados, em traduo livre). mais barato e tambm diferente do ABS. Enquanto nos freios tradicionais existem acionadores independentes para frear a roda da frente (manete direito) e a traseira (pedal), o sistema combinado reparte a fora de atuao entre os dois eixos.

A ideia do CBS corrigir o mau hbito dos motociclistas de usar somente o freio traseiro, quando o ideal acionar os dois, j que a maior parte do poder de frenagem de uma motocicleta est na dianteira. Com o sistema, a moto consegue parar antes.

O acionamento do freio combinado ocorre de maneira progressiva. necessrio pressionar o pedal com fora, utilizando todo o seu curso, para entrar em ao a frenagem na roda dianteira. Com leves toques sobre o pedal, a fora fica apenas na roda traseira.

Quando comea a valer
Veja o calendrio de adoo dos sistemas, segundo a resoluo 509 do Contran:
- a partir de 1 de janeiro de 2016: 10% da produo ou importao;
- a partir de 1 de janeiro de 2017: 30% da produo ou importao;
- a partir de 1 de janeiro de 2018: 60% da produo ou importao;
- a partir de 1 de janeiro de 2019: 100% da produo ou importao.
Esto dispensados dessa exigncia veculos de uso exclusivo fora de estrada (off-road), militares, artesanais e cicloeltricos com potncia at 4 kW e que no ultrapassem a velocidade de 50 km/h.

Postado em: 15-02-2016

Comeou no dia 1 de fevereiro o Perodo de Preenchimento do RAPP


Os empresrios de postos de combustveis tm entre o dia 1 de fevereiro e 31 de maro para preencher o Relatrio Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras (RAPP), obrigao instituda pelo Ibama atravs da Lei 10.165/2000.
Vale ressaltar que, este ano, o Ibama intensificar a fiscalizao do RAPP, inclusive como uma forma de justificar a cobrana da Taxa de Controle de Fiscalizao Ambiental (TCFA). Portanto, estar regular com essa obrigao torna-se uma necessidade ainda maior.
Fonte: Site Brasil Postos

Postado em: 03-02-2016

Perto do Caixa, Prximo da Venda

Produtos expostos perto dos caixas de lojas de convenincia, padarias e supermercados vendem 50% mais por conta da posio

A cena muito comum. Enquanto o caixa registra as compras do cliente da frente, alguns produtos que esto ali ao alcance dos olhos chamam a ateno e acabam sendo comprados, mesmo se
m necessidade.

Essa a compra por impulso, que garante aos fabricantes um crescimento de 50% nas vendas se comparadas com o faturamento do mesmo tipo de produto exposto em uma prateleira qualquer.

O caixa um ponto de venda excelente para determinados tipos de produtos, diz Martinho Paiva Moreira, vice-presidente da Associao Paulista de Supermercados, sobre a estratgia de venda que chegou ao pas h 30 anos, seguindo um modelo americano de promoo dos anos 1950.

So produtos que geralmente no esto na lista de compras, mas naquele momento pode chamar a ateno do consumidor, como uma revista que ele v a capa e decide pela compra, diz Guilherme de Almeida Prado, presidente da Associao de Marketing Promocional (Ampro).

Para funcionar, a estratgia de venda de produtos no caixa deve levar em conta o perfil do consumidor e suas necessidades. Para os especialistas do setor, a potencializao das vendas no caixa s acontece com os chamados produtos de impulso, como balas, pilhas, aparelhos de barbear descartveis, chocolates. Produtos mais sofisticados no tm vez. Quando o consumidor precisa destes produtos, j vai para o supermercado com essa inteno. No uma deciso que ele toma na hora em que est pagando a conta, diz Prado. 1

Negociao

Como as chances de venda so maiores, a regio dos caixas bastante disputada entre os fabricantes de produtos de impulso. Por conta dessa valorizao, os varejistas negociam vantagens nos contratos de compra com a garantia de que os produtos estaro perto do caixa. uma prtica bastante comum no setor. Para ter o produto em uma posio privilegiada e vendendo mais, o fabricante facilita as condies de preo ou de prazo de pagamento, diz Caio Camargo, professor de visual merchandising.

Os espaos para a comercializao de produtos so limitados e a concorrncia grande. Em um hipermercado so 30 mil produtos, logo, qualquer ao que garanta um aumento de vendas boa tanto para o fabricante quanto para o lojista, diz o presidente da Ampro.

Fonte: Dirio de So Paulo

Postado em: 03-02-2016

ANP Implementa Sistema de Registro de Documentos pela Internet

O objetivo do novo sistema, o SRD-PR Sistema de Registro de Documentos dos Postos Revendedores simplificar o processo e facilitar o atendimento de cerca de 40 mil postos de combustveis atuantes no Brasil.

O SRD-PR tambm permitir maior eficincia no contato com a ANP, reduzindo custos e tempo, alm de permitir o acompanhamento pela internet.

anp_portal_brasil_postos

Com a nova ferramenta, todas as solicitaes referentes ao cadastro de postos de combustveis automotivos, como o requerimento de autorizao para o exerccio da atividade de revenda varejista e as atualizaes cadastrais, passaro a ser feitas diretamente no site da ANP.

Em sua fase inicial, o agente econmico poder acessar o novo sistema por meio do site da ANP (Pgina principal: Distribuio e Revenda Pginas Relacionadas: SRD-PR) ou seguir o procedimento atual, enviando as fichas em papel pelos correios. Se o agente optar pelo cadastro atravs do novo sistema (SRD-PR), as fichas em papel no devero ser encaminhadas pelo correio.

Para que o agente econmico consiga efetuar o registro, necessrio um cadastro prvio com o uso do Certificado Digital (e-CNPJ) da pessoa jurdica solicitante. O Certificado Digital utilizado para garantir a segurana na transmisso de informaes pela internet. As orientaes quanto ao correto uso do sistema esto disponveis no Manual do Usurio.

Clique aqui para acessar o SRD-PR.

Fonte: ANP

Postado em: 03-02-2016

© COPYRIGHT RDP PETRLEO - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  Utilizamos cookies para melhorar sua experiência em nosso site.
Ao clicar em “Aceitar” , você concorda com o armazenamento de cookies em seu dispositivo.
Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade.